Fale Conosco

O secretário da Administração Gilberto Carneiro, que recebeu o titulo de “água-sanitária” depois de lavar, enxugar e guardar a folha de pagamento do Estado também é o responsável pelo espetáculo de nepotismo cruzado, o qual foi denunciado na manhã de hoje pelo deputado Frei Anastácio (PT).

Gilberto afirma que o Estado não tem dinheiro para contratar os profissionais da educação, não tem verba para pagar a PEC 300, não pode contratar médicos para os hospitais do interior do Estado, mas ao mesmo tempo, o secretário ofereceu um cargo com salários de R$ 9 mil r no Detran e outro cargo com salário de R$ 5 mil na Cagepa em troca de uma vaga para sua esposa num certo gabinete do Tribunal Regional do Trabalho.

É isso mesmo: troca de favores ou nepotismo cruzado. Gilberto tira R$ 14 mil reais do Estado todos os meses, para pagar o emprego que a esposa “ganhou” no TRT. As comprovações estão no diário oficial do dia 26 e no boletim interno do TRT, que estão com Frei Anastácio.

Agora podemos entender os motivos pelos quais Gilberto não contrata os servidores antigos: por que ele precisa negociar os rendimentos do Estado em operações mais “interessantes”. Será que Ricardo vai manter o secretário fazendo a limpeza dos servidores?