Fale Conosco

O espetáculo grotesco protagonizado pelos 36 deputados estaduais paraibanos no Plenário José Mariz, ontem, deveria ter uma tarja de proibido para menores no rodapé das transmissões televisivas.

Imaginem que era a posse, o primeiro dia de mandato, e eles deram uma aula de como o Poder Legislativo não deve se comportar.

Por instantes tive a impressão que estava assistindo aquela minissérie global “Felizes para sempre”, de Euclides Marinho e direção de Fernando Meireles, o mesmo de Robocop e Tropa de Elite.

Um jogo sórdido de traições, trapaças, tabefe de deputado em segurança – Jeová deu um tapa pelas costas no segurança de Ricardo Marcelo – e a catarse final do deputado Tião Gomes atacando, conforme combinado na reunião reservada da base governista, o sistema de votação eletrônica até danificá-lo.

Na minissérie global a atriz Paola Oliveira faz o papel de uma garota de programa que se envolve com um construtor corrupto e, a cada cena de nudez, dispara a audiência.

Nos dias que antecederam a eleição da Mesa Diretora houve de tudo um pouco para fazer a audiência do episódio lamentável alavancar o ibope do noticiário político.

Confinamento em Tabatinga, idas e vindas, traições e traições invertidas.

Mas, nada se compara ao episódio final. Após Tião resolver no grito os 36 deputados deram uma aula de que nenhum merece confiança e a eleição acabou no colo de Adriano Galdino, presidente eleito, que saiu do plenário com a pressão nas alturas, pois por apenas 1 voto venceu Ricardo Marcelo.

Hoje os paraibanos amanheceram com a sensação de que os seus representantes não estão, pelo que houve no primeiro dia de mandato, lhes representando muito bem.

Cá fora a população acuada é jogada contra a parede da crise, com sucessivos aumentos de gasolina, violência e calor de lascar; dentro da Assembleia e refrigerados os 36 deputados teimam em só enxergar os próprios umbigos.

Alguém por acaso acha aí que esta eleição teve vencidos e vencedores? Todos saíram perdendo por exposição do Poder Legislativo à execração pública.

E isso quer dizer que se continuarem todos errando como erraram neste domingo que ainda não acabou, pois hoje é segunda e a troca de farpas continua, a eleição de um deputado estadual na Paraíba ficará cada vez mais cara.

Sabem porquê? Estão passando a imagem de que são todos venais.  Espero que usem o resto dos mandatos para correção dos erros de ontem.