Fale Conosco

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) identificou a presença do mosquito Aedes albopictus em 89 municípios da Paraíba. O inseto é um dos principais transmissores da febre chikungunya, que, conforme o Ministério da Saúde, já registrou 828 casos no país. A informação foi revelada pela técnica responsável pelo combate à dengue e à febre chikungunya na Paraíba, Izabel Sarmento, durante capacitação promovida ontem pela manhã no Hotel Ouro Branco, em João Pessoa. Para lidar com a doença que, conforme Izabel, tem 100% de chances de chegar ao Estado, médicos e enfermeiros estão sendo capacitados para identificar e tratar casos suspeitos.

A identificação da presença do Aedes albopictus preocupa, de acordo com Izabel, porque atualmente a Paraíba já possui a presença do Aedes aegypti nos seus 223 municípios, o que faz com que seja ainda maior a capacidade de transmissão nessascidades.

“Com esses números, chegamos à conclusão de que a probabilidade de transmissão da doença nesses locais é ainda maior, o que faz com que tenhamos que alertar os municípios, que devem redobrar os cuidados e intensificar as ações”, comentou, acrescentando que esses números são imprecisos, pois nem todos os municípios informaram os dados à secretaria. “Acreditamos que pode ter bem mais. Já tivemos três casos da doença, que foram descartados, mas a chegada do vírus no Estado é algo inevitável”, alertou.

Para Izabel Sarmento, os fatores que podem propiciar a chegada da febre chikungunya no Estado são as regiões de divisa com outras regiões bem como a constante circulação de pessoas pelo país. Isso, aliado à presença dos dois tipos de mosquitos, causa alerta. A técnica ainda destacou outra preocupação da SES: o fato de 22 municípios do Estado estarem com estado considerado de risco a uma epidemia quanto ao mosquito da dengue. “Esse número reduziu com relação ao mesmo período do ano passado, quando registramos 47 municípios em estado de alerta. Queremos reduzir esses números, porque essa é uma situação que requer alerta, vigilância, principalmente em dezembro e janeiro, que, com chuvas esparsas, traz ainda mais perigo”, acrescentou.

Para combater e alertar quanto aos perigos da dengue e da febre chikungunya, a SES promoverá no próximo dia 6 de dezembro o dia ‘D’ de mobilização contra as doenças. “Essa é uma das ações que estamos fazendo no sentido de nos preparar para a chegada da doença. Primeiro, orientando a população e segundo nos organizando, qualificando profissionais da atenção básica, dos hospitais particulares e públicos, para, frente a um caso suspeito, saber como conduzir. Nos organizamos, qualificamos e nos preparamos para que se ocorrer a gente consiga ficar numa situação sob controle”, completou.

Além dessa ação, monitoramentos estão sendo feitos nos 22 municípios que estão em estado de alerta, além de ações como a passagem do caminhão ‘fumacê’. Estes municípios, por possuírem índice de infestação acima dos 4% e estarem em alerta, estão recebendo uma atenção especial, porém todos os demais também estão sendo alvos de ações de controle vetorial dos mosquitos transmissores da dengue e da febre chikungunya, seguindo mobilização nacional do Ministério da Saúde em combate às doenças.

JP