Fale Conosco

O laudo da necropsia no corpo de Belchior confirma morte por rompimento da aorta. O delegado Luciano Menezes, diretor da Delegacia de Polícia Regional, em Santa Cruz do Sul, informou o resultado oficial ao G1 nesta quarta-feira (3). O cantor foi encontrado morto pela mulher, na manhã de domingo (30), na casa onde o casal morava na cidade gaúcha.

“Foi dissecção da aorta, que é a destruição voluntária. O médico legista explicou que a artéria tem duas camadas, e uma se rompeu. Causa natural”, disse o delegado.

Ainda no domingo (30), a delegada plantonista Raquel Schneider informou sobre o rompimento, mas ainda não havia sido divulgado o resultado oficial.
A Polícia Civil também pediu exame toxicológico, e aguarda o resultado. O delegado explica que é uma solicitação de praxe. “O médico [legista] foi categórico. Acreditamos que virá zerado”, entende Menezes.

O G1 consultou um especialista para falar sobre a dissecção da aorta. Segundo o cardiologista Luis Augusto Saliba, na verdade são três camadas, sendo que a externa é mais uma proteção.

“Há um descolamento entre as camadas e o sangue, que deveria passar por dentro, passa entre as camadas. Fica represado, acaba gerando uma hemorragia.”
O médico explica que o sangue não se espalha pelo corpo, mas como existem muitas outras artérias, a situação torna-se grave. “Como a coronária, que liga o coração, e outras que vão para o cérebro”, acrescenta.

“Tem situações de dissecção em que o paciente tem sintomas, e é revertida rapidamente. E tem situações em que a morte é súbita”, diz Saliba. “Para entender, teria que entender ele como paciente”, completa.

O que o cardiologista quer dizer é que, para especificar o caso de Belchior, precisaria saber do histórico dele. “Possivelmente ele tinha algum fator de risco”, sugere.

Fonte:G1