Notícias

Ricardo a culpa é sua… Sertanejo fecha em 3 pontos da PB-400 e PB-366

Taxistas, vereadores, agricultores e a comunidade fazem ‘paredão humano’ e param o trânsito.

Manifestações simultâneas fecham desde 5h00 da manhã desta quarta-feira (04) duas rodovias no Alto Sertão da Paraíba. As interdições ocorrem em três trechos diferentes, sendo uma na rodovia PB-400, que liga São José de Piranhas a Cajazeiras, outro movimento no contorno ligando a PB-366 a PB-400 e estrada que liga São José de Piranhas ao município do Barro, no vizinho estado do Ceará. A mobilização ocorre pelo segundo dia consecutivo.

A mobilização é formada por agricultores, estudantes, taxistas e a comunidade. Os manifestantes atravessaram caminhões e carros nas estradas e fizeram uma barreira humana para impedir o tráfego de veículos. Centenas de estudantes de pelos menos sete cidades da região que iam para faculdades e IFPB de Cajazeiras tiveram que votar do meio do caminho e perderam aulas.

Os manifestantes exigem que o Governo do Estado, através do Departamento de Estradas de Rodagem do Estado da Paraíba (DER) inicie o trabalho de recuperação das duas rodovias, que estão completamente cheias de buracos.

Ontem (03) o diretor do DER regional Cajazeiras, Valcir Morais, esteve no local, no final da tarde, e entrou em acordo com os manifestantes. Segundo o combinado, o órgão enviaria nesta quarta-feira quatro caçambões com PMF (Pré-Misturado a Frio) para recuperação do asfalto. Sendo duas caçambas do DER para iniciar o ‘tapa-buracos’ na PB-400 e outros dois caçambões cedidos ao DER pelo Consórcio de empresas que trabalha na transposição do Rio São Francisco para iniciar o trabalho na PB-366, ligando São José de Piranhas ao Ceará.

Para não ser quebrado o acordo, os manifestantes interditaram novamente, hoje, simultaneamente, as duas rodovias. Eles prometem liberar o trânsito somente quando os caminhões caçambas encostarem no local com o material. Até o fechamento desta reportagem, o acordo não havia sido cumprido e a manifestação continua sem previsão para acabar.

Da Redação, com Radar Sertanejo