Fale Conosco

Quase ninguém notou, mas o ex-vereador, suplente de deputado e refém voluntário Hervázio “trairinha” Bezerra já atua nos bastidores do ricardismo com certa desenvoltura. Digamos que quer deixar de ser índio para ser cacique de no máximo um cocar. A partir daí só os puros de sangue alcançam.

Durante sabatina do secretário de Saúde, Waldson Sousa, foi ele quem montou a estratégia de despiste ao sacar do bolso do paletó uma clipagem de notícias sobre o caos na saúde em todo o Brasil.

Aquela cabecinha é acostumada a tramar, pois era ele o cérebro por trás de todas as tramas contra Roseana e RC. Eu disse todas.

Para não passar o recibo que estava defendendo o que sempre atacou e desconstruiu, Hervázio chamou o líder – que não lidera – Lindolfo num canto de parede e passou o bizu.

Dito e feito. Primeiro Hervázio nivelou tudo por baixo ao mostrar que lá fora é igual aqui dentro: caos amplo, geral e irrestrito e, portanto, o governador não pode levar a culpa do que está generalizado.

Quando Lindolfo iniciou seu discurso e sacou também do paletó uma clipagem, desta vez com notícias da Paraíba, só que da gestão de Maranhão, estava feito o link. Hervázio é cabeça pensante e juntou sua vasta cultura de Maquiavel com a de Nonato e RC.

Mas, o rastro de Hervázio “trairinha” atuando não parou por aí. Ao cair da noite de ontem ficamos todos sabendo através de um médico lá na assembléia da categoria na sede do CRM que o presidente do Sindicato dos Médicos, Tarcísio Campos, esteve através de Hervázio reunido com Roseana e Nonato para implodir o movimento.Se infiltrar e minar, fazendo jogo lá e lou é com Hervázio. Ele nasceu pra isso.

Pra sorte dos médicos, o ‘falso líder” já estava sendo monitorado e após aquele discurso estranhíssimo na Câmara durante a sabatina de Roseana, milhares de orelhas médicas ficaram em pé e chegaram à conclusão de que só não seriam traídos se destituíssem Tarcísio da condição de membro da comissão de greve, ou melhor: formaram outra comissão sem contaminação hervaziana.

Em todas essas jogadas políticas o croupier Hervázio esteve presente, mas deixou rastros já que seu modus operandi é bastante conhecido nos meios ciceristas.

Como sempre digo: malandro é malandro e mané é mané.