Fale Conosco

A Ambev registrou queda de 9,7% na receita da operação no Brasil no quarto trimestre de 2016 na comparação com igual período de 2015, chegando a R$ 7,642 bilhões. No acumulado do ano, a receita da Ambev no Brasil caiu 5,2%, para R$ 24,954 bilhões.

A piora ocorreu em meio a queda nos volumes de bebidas vendidos e a perda de participação de mercado da companhia na venda de cerveja. O volume de bebidas comercializado pela companhia no País ficou em 30,343 milhões de hectolitros, uma queda de 7,1% na comparação com o quarto trimestre de 2015. No ano, o volume encolheu 6,5%, para 106,961 milhões de hectolitros.

As expectativas da Ambev para as vendas no Brasil foram sendo reduzidas ao longo no ano. No início de 2016, a previsão era de crescimento de receita entre um dígito médio e um dígito alto. Passado o primeiro semestre, a companhia revisou sua expectativa para estabilidade ante 2015 e, em outubro, mudou o guidance novamente ao afirmar que não mais acreditava que sua receita no País deveria ficar estável ante o ano anterior.

CPV

Já Custo do Produto Vendido (CPV) teve alta de 10,6% no Brasil, totalizando R$ 2,632 bilhões no quarto trimestre, enquanto o CPV por hectolitro (CPV/hl) subiu 19,1%, para R$ 86,8. As despesas com vendas, gerais e administrativas consolidadas das operações no Brasil cresceram 2,7%, para R$ 2,137 bilhão. O desempenho acumulado do ano do CPV e das despesas ficou em linha com o guidance da companhia.

O CPV por hectolitro aumentou 7,9%, excluindo impacto de depreciação e amortização, no teto do guidance de “crescimento entre um dígito médio e um dígito alto no ano”. Já as despesas com vendas, gerais e administrativas subiram 3,5% no ano, em linha com o guidance de “crescimento de um dígito baixo no ano”.

Cerveja

A Ambev reportou perda de fatia de mercado no negócio de cerveja no ano. O market share da companhia, segundo dados da Nielsen citados pela empresa, chegou a 66,3% em 2016, uma piora de 1,2 ponto ante os 67,5% apurados em 2015.

A queda no volume de cerveja vendido pela Ambev foi de 7,3% no quarto trimestre de 2016, chegando a 22,605 milhões de hectolitros. Isoladamente, as receitas provenientes das vendas de cerveja no País caíram 11,5%, alcançando R$ 6,427 bilhões no trimestre.

No indicador de receita líquida por hectolitro (ROL/hl), houve queda de 4,6%, para R$ 284,3, recuo que a companhia justificou afirmando que a base de comparação do ano anterior era difícil. Já o CPV de cerveja no Brasil subiu 9,8% no período, para R$ 2,144 bilhões, enquanto o CPV por hectolitro cresceu 18,4%, para R$ 94,9.

Refrigerantes e bebidas não alcoólicas

As vendas em volume de refrigerantes e bebidas não alcoólicas caíram 6,7% no trimestre, chegando a 7,738 milhões de hectolitros. A receita líquida desse segmento no Brasil somou R$ 1,215 bilhão no quarto trimestre de 2016, o que representa uma alta de 1,7%. A ROL/hl teve alta de 9% na mesma base de comparação, passando para R$ 157. O CPV teve alta de 14,2%, para R$ 488 milhões, enquanto o CPV/HL subiu 22,4%, chegando a R$ 63,1.

América Latina

As operações da Ambev em países da América Latina Sul (LAS), região composta por Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai, apresentaram um recuo de 2,8% no volume de vendas no quarto trimestre de 2016 ante o mesmo período do ano passado. De outubro a dezembro deste ano, a companhia comercializou 10,010 milhões de hectolitros de bebidas nos países.

Em sua divulgação de resultados, a Ambev considera que a divisão ainda tem sido impactada pela piora da indústria de bebidas na Argentina em meio a um cenário macroeconômico adverso. Apesar disso, a companhia citou o lançamento de novas embalagens em países como Bolívia e Paraguai como elementos que ajudaram a diminuir o impacto do resultado da Argentina.

A receita líquida da unidade de negócios caiu 21,9%, passando para R$ 3,152 bilhões. Já a receita líquida por hectolitro (ROL/hl) recuou 19,7% na comparação anual, chegando a R$ 315. O CPV na região teve queda de 28,1%, para R$ 1,062 bilhão, enquanto o CPV por hectolitro (CPV/hl) caiu 26%, para R$ 106,1. As despesas com vendas, gerais e administrativas recuaram 19,2% no trimestre, para R$ 761,5 milhões. O Ebitda ajustado caiu 17,6%, para R$ 1,527 bilhão, com margem de 48,4%.

Volume global

O volume total de bebidas comercializado pela Ambev em todas as suas regiões de operação totalizou 45,358 milhões de hectolitros ao longo do quarto trimestre de 2016. O montante representa queda de 5,4% na comparação com igual período do ano anterior. O desempenho do trimestre foi afetado por queda no volume de cerveja e refrigerantes vendidos no Brasil.

Diferente do que ocorreu no ano anterior, a tendência pior para os volumes não foi compensada por alta no preço médio, o que fez a receita no Brasil cair. Nas operações internacionais, a companhia destaca a queda da indústria na Argentina, ainda impactada pelo adverso cenário macroeconômico, mas considera que o desempenho na América do Sul é parcialmente compensado pelos resultados da Bolívia, Paraguai e Chile.

A receita líquida por hectolitro (ROL/hl) consolidada do trimestre caiu 8,9% na mesma base de comparação, chegando a R$ 290,5 entre outubro e dezembro. O CPV consolidado somou R$ 4,607 bilhões, um recuo de 6,5% ante o quarto trimestre do ano anterior.

Já o CPV por hectolitro (CPV/hl) teve queda de 1,2% em igual comparativo, chegando a R$ 101,6. As despesas com vendas, gerais e administrativas (SG&A) consolidadas da companhia somaram R$ 3,630 bilhões, recuo de 7,7% ante os gastos no mesmo período de 2015.

Fonte:Istoé