Fale Conosco

Com o discurso de garantir equilíbrio fiscal e compensar as perdas nos repasses do governo e a crise o governado Ricardo Coutinho ampliou o arroxo aumentando consideravelmente a alíquota do ICMS de 17% para quase 22%.

O que isso ocasiona? Aumento do preço do produto final no varejo, pois o atacadista sofre a taxação e repassa para o varejista, que é obrigado a repassar para o consumidor, o terminal de pancadas e quem vai pagar a conta.

Eu gostaria de saber se os senhores sabem de quem partiu essa ideia maravilhosa de manter os cofre do estado cheio as custas do sufoco do consumidor. Alguém sabe?

E eu mesmo respondo. Apesar de ter um secretário da Receita a estrutura de governo tem como base a super secretaria de Planejamento, Infra-estrutura e nem sei quantas coisas mais.

É de lá que partem as estratégias para manter a máquina funcionando, obras em andamento.

Logo foi o secretário João Azevedo quem sugeriu esse arrocho fiscal que os comerciantes estão passando e que os consumidores estão sentindo com a remarcação dos preços na gondola.

Obrigado, seu João! Agora o povo vai entender quando o senhor aparece na televisão no horário gratuito dizendo que o PSB gosta de tudo muito planejado.

O problema é que o povo é quem paga a conta.