Notícias

Fábrica da Fiat em Goiâna inscreve mais de 10 mil pessoas e todas de Pernambuco

Repercuto abaixo a coluna do jornalista Carlos Magno, publicada originalmente nos portais Pbagora e Paraibaconfidencial, que desmascara a versão ricardista de que a fábrica da Fiat em Goiana merecia comemoração dos paraibanos, pois haveria compartilhamento na oferta de empregos.

Tudo mentira de RC e agora tem gente oferecendo um Fiat para quem encontrar um paraibano entre os inscritos na fábrica da Fiat em Goiâna.

Leia com atenção as informações:

Foi lamentável ver o Governo Ricardo Coutinho comemorando a instalação da Fábrica da Fiat no vizinho estado de Pernambuco sob o argumento de que a Paraíba seria beneficiada com as migalhas que sobrassem, ou seja, que os trabalhadores seriam recrutados aqui, pois a fábrica seria instalada quase na fronteira entre os dois estados. Mais lamentável ainda foi ver colegas jornalistas defendendo o ponto de vista do Governo, afirmando que a Paraíba iria ganhar com a nova empresa. 

Pois bem. A reportagem abaixo, feita a partir das informações publicadas pela imprensa de Pernambuco esta semana, mostra o quanto o Governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, enganou a opinião pública paraibana, com a conversa mole de que a Paraíba apoiava a instalação da Fiat em Pernambuco por que parte dos trabalhadores seria recrutada aqui na Paraíba. Pura enganação. Ou, como diria o falecido Humberto de Campos: “Colóquio flácido para bovino ressonar”. 

Esta semana a Fiat anunciou o cronograma da 1.ª etapa das contratações, que consiste no cadastramento dos profissionais que irão participar de uma capacitação para as obras da Fiat em Goiana. Nesta fase, de acordo com a montadora, serão contratadas 6.782 pessoas, com uma única exigência: todos tem que ser, OBRIGATORIAMENTE, de Pernambuco.

O Trabalho será coordenado, segundo o Blog apurou, pela Secretaria de Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo do Governo Eduardo Campos (PSB – o mesmo partido do nosso Governador, Ricardo Coutinho, o homem que garantiu que ganharíamos com a Fábrica). Estes 6.782 funcionários serão contratados para a construção e montagem da fábrica. 

Funcionários virão de 13 cidades – nenhuma da Paraíba 

A Fiat anunciou que, OBRIGATORIAMENTE, os funcionários deverão ser recrutados em 13 cidades pernambucanas: Goiana (onde será instalada a montadora), Abreu e Lima, Aliança, Araçoiaba, Camutanga, Condado, Ferreiros, Igarassu, Itamaracá, Itambé, Itapissuma, Itaquitinga e Timbaúda. Da Paraíba, lamentavelmente, nenhum trabalhador poderá ser recrutado para o trabalho. 

Todos os 6.782 trabalhadores recrutados passarão por cursos de qualificação, que serão ministrados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – Senai, que montará uma estrutura de ensino em cada cidade beneficiada, onde serão montados canteiros-escola. 

Decisão de deixar Paraíba de fora foi do próprio Governo do PSB 

O Secretário de Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo do Governo Eduardo Campos (PSB), Antônio Carlos Maranhão, disse que a decisão de deixar estados vizinhos de fora – dentre eles a Paraíba, do colega de partido Ricardo Coutinho (PSB) – foi do próprio Governo Eduardo Campos. Ele considerou como louvável a decisão, que não deixou qualquer chance para outra cidade que não sejam as já definidas. 

“Definimos com a Fiat, as cidades as cidades que serão beneficiadas, e com as próprias prefeituras, o número de vagas por município. Com exceção de Goiana, que vai capacitar mais gente, as outras cidades seguem um critério de proporcionalidade por número de habitantes”, disse o Secretário, em entrevista ao Jornal do Commercio, de Recife-PE. 

Capacitação gratuita e só para Pernambucanos, claro 

O Secretário informou que todos os 6.782 funcionários que serão contratados pela Fiat serão capacitados com cursos totalmente gratuitos. As inscrições começam nesta segunda-feira (05) e prosseguem até o dia 15. Cada cidade terá seus dias específicos de cadastramento, sendo que a escolaridade de cada candidato poderá ser comprovada até o dia 15, independente do cronograma por cidade. 

O Governo de Pernambuco está tão decidido a não recrutar gente de fora do Estado que, até mesmo para os candidatos que não conseguirem comprovar a escolaridade exigida, não tem problema: o Governo do Estado bancará um curso de reforço escolar de 100 horas de duração e aulas nos três turnos, que de acordo com a Secretaria de Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo do Governo do Estado, ficará a cargo do Serviço Social da Indústria – Sesi. 

Mais de 10 mil inscritos – todos de Pernambuco, claro 

A expectativa do Governo do Estado de Pernambuco é inscrever um total de 10.173 pessoas, considerando que a determinação é inscrever 1,5 candidato por cada vaga escolhida. Todos, OBRIGATORIAMENTE, de Pernambuco, claro. 

O Secretário disse que, além de não abrir para que pessoas de outros estados participem da seleção, o Governo do Estado está trabalhando a Inclusão Social dos pernambucanos. “Além de proporcionar oportunidades para os habitantes de Goiana e das 12 cidades próximas da nova fábrica da Fiat, o programa de capacitação é uma tentativa de promover a inclusão social com a qualificação. A prioridade para os beneficiários do Bolsa Família e do seguro desemprego garante, em teoria, que a maioria dos cadastrados seja de desempregados”, afirmou Antônio Carlos Maranhão ao JC. 

Dois meses de negociação e a Paraíba nem chegou perto para opinar 

A definição de que o Governo do Estado de Pernambuco não iria abrir para a contratação de pessoas de outros estados – inclusive da Paraíba – vinha sendo discutida há mais de dois meses. Por determinação do Governador Eduardo Campos (do PSB de Ricardo Coutinho, é bom que se frise novamente), a Secretaria de Trabalho do vizinho estado foi designada para garantir que só pernambucanos fossem contratados. 

A pasta ficou responsável pela viabilização das negociações, apoio técnico e operacional dos cursos de formação. Os custos estão dentro de um pacote que envolve investimentos do Governo Federal, Governo do Estado de Pernambuco e Fiat. A fábrica, que segundo a montadora deve começar a funcionar no primeiro semestre de 2014, prevê investimentos de R$ 4 bilhões. 

Trabalhadores pernambucanos serão contratados entre março e abril 

Os cursos que serão ministrados aos futuros funcionários começam no dia 2 de janeiro do ano que vem e terão duração variável, podendo chegar a até 200 horas/aula. A previsão é de que a Fiat comece a contratar os profissionais a partir de março ou abril. 

“Naturalmente não vamos formar os 6.782 trabalhadores ao mesmo tempo. A divisão das turmas ainda não está definida porque, entre outros detalhes, precisamos analisar as inscrições e observar o número de candidatos que vão precisar do reforço escolar”, disse ao JC o Secretário Antônio Carlos Maranhão. 

Argumento de que PB era estado vizinho foi grande enganação 

À reportagem de outro jornal pernambucano, o Diário de Pernambuco, o Secretário Antônio Carlos Maranhão disse que o critério adotado para a escolha das cidades pernambucanas que vão oferecer os trabalhadores da Fiat foi o da proximidade com a fábrica. Esta informação põe por terra comentários de profissionais da imprensa paraibana de que a Fiat contrataria na Paraíba, por ficar próximo à fábrica. 

“Os municípios foram decididos de acordo com a distância de Goiana, para permitir que as pessoas possam trabalhar, sem que isso signifique uma separação das famílias”, afirmou o auxiliar de Eduardo Campos. 

Subserviência da Paraíba a Pernambuco 

Diante de tal constatação, só nos resta lamentar a total subserviência do Governo do Estado da Paraíba ao vizinho estado de Pernambuco. Enquanto eles crescem, nós ficamos atrás, comendo poeira e vendo até mesmo as migalhas anunciadas com pompa pelo Governador paraibano e seu staff serem consumidas internamente por Pernambuco, sem dar qualquer chance a quem quer que seja. E eles estão corretos, claro. 

Pura ingenuidade – para não dizer subserviência também – de alguns colegas que, ao anúncio de que a Paraíba sairia ganhando com a instalação da Fiat em Pernambuco, achar que o vizinho estado deixaria de contratar os seus para priorizar um estado vizinho. Ou grande ingenuidade dessa turma – o que eu, sinceramente, não acredito – ou parte de uma operação para enganar, mais uma vez, a opinião pública da Paraíba. Acorda, gente! 

Carlos Magno, com informações do Jornal do Commercio e do Diário de Pernambuco, e foto do portal SRHoje