Fale Conosco

A Polícia Federal cumpre nesta quarta-feira (2)10 mandados de busca e apreensão em Teresina, no âmbito da Operação Caligo, que investiga fraudes na compra de testes da Covid-19. Segundo os investigadores, há divergências entre a quantidade comprada e a fornecida.

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina é um dos alvos da operação, além das empresas Distrimed, que distribui medicamentos e a Fermac, que comercializa Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Segundo a PF, desde março deste ano foram firmados, mediante dispensa de licitação, diversos contratos emergenciais entre a Fundação Municipal de Saúde e duas empresas fornecedoras de EPIs, kit de testes IGG/IGM, insumos e equipamentos hospitalares para enfrentamento à pandemia causada pela Covid 19, custeados com recursos do FNS e Ministério da Saúde, que totalizam, em valores empenhados, até julho/2020, no valor de R$ 17,4 milhões.

A PF informou ainda que as ordens judiciais pretendem “aprofundar as investigações acerca de irregularidades nos processos de dispensa de licitação, além de obter informações quanto ao recebimento dos produtos negociados entre as empresas e a Fundação Municipal de Saúde (FMS) durante esse período”.