Fale Conosco

Sempre gostei daquela música de Benito de Paula que agradece a Deus por tudo está no seu lugar. Aqui na Paraíba pós primeiro turno tudo está ou caminha para o seu lugar, cada um no seu quadrado.

Maranhão precisa mesmo reassumir o PMDB e iniciar a tricotagem do processo de 2014, onde terá o papel de articulador, assim como um dia foi Humberto Lucena.

Os que hoje esperneiam reclamando o comando de jeito nenhum poderão assumir o partido, pois são de baixa estatura política ou apenas gostariam de usar aquela sede da Beira Rio como bodega, barganhando só para si o que o novo presidente precisará barganhar para todos: a volta ao poder.

Não vou dá nome aos bois para não marcar a boiada, mas só vejo em José Maranhão a densidade histórica capaz de manter acesa a chama tão necessária de um PMDB forte e capaz de equilibrar o tabuleiro.

Maranhão deve sim assumir a presidência do PMDB e aqueles que conspiram contra sua liderança deveriam ponderar para o fato de que ninguém mais do que ele simboliza a persistência e resistência do PMDB velho de guerra, ícone e único capaz de manter a legenda unida e no caminho da independência do Palácio da Redenção.

Ah! Como o governador Ricardo Coutinho gostaria de ter o PMDB debaixo da sola dos seus sapatos; Ah! Como alguns peemedebistas gostariam de está debaixo das solas dos sapatos do governador.

Cartaxo babou pelo apoio de Zé e quis atropelá-lo de caso pensado indo direto aos desafetos. Acabou sem o apoio da velha raposa que, coerentemente, declarou-se neutro.

O que poucos sabem é que nem bem o TRE anunciou quem estaria no segundo turno e já tem gente de bandeja na mão oferecendo o espólio que não lhes pertencia.

Nada mais justo do que Maranhão assumir os destinos do PMDB e ser o condutor da chegada da nova geração peemedebista ao Palácio na figura emblemática de Veneziano Vital do Rego.

“Em nossa chapa estarão contemplados os deputados federais, estaduais e os prefeitos das principais cidades”, me disse Maranhão, disposto a relevar as contendas e costurar o consenso.

Que me perdoem Santiago, Trócolli, Manoel Júnior e Gervazinho, mas, por favor, cresçam antes de querer aparecer.

Pois, como cantará a seguir Benito de Paula, “Tudo está no seu lugar, graças a Deus!”.