Fale Conosco

É característica de governos espúrios o centralismo, a arrogância e a perseguição a quem se contrapõe. Seja na Venezuela ou Coréia do Norte, Irã ou aqui mesmo na Paraíba, onde um governador intolerante tratora adversários e críticos com os instrumentos ao seu alcance, vide o que está acontecendo no âmbito da Polícia Civil neste processo de eleição do sindicato da categoria.

RC usa as mesmas armas que os coronéis dos anos 30 da política usavam para subjugar e impor a sua vontade. Infla a máquina pública com cabos eleitorais, cala a imprensa venal com verbas publicitárias e contracheques. Faz da força o tom que a banda deve tocar.

Aos que não se submetem, aplica a máxima do “escreveu não leu, o pau comeu”, e aí os tribunais acumulam montanhas de processos civis e criminais, um cerceamento via marteladas.

Não é fácil fazer contraponto a uma gestão tão intolerante e avessa ao contraditório. Quem se habilita prova do chicote, como se o Palácio da Redenção fosse a casa grande e a Praça João Pessoa o local do tronco para o açoite.

Quantos funcionários públicos já foram transferidos para lugares distantes a revelia de suas vontades? Esse delegado de Campina e o vereador do Conde, que com medo recuou e negou o que ele mesmo tinha afirmado, são os mais recentes. Mas temos relatos de uma agente penitenciária assediada e perseguida por superiores.

No time dos perseguidos também devemos incluir os foirnecedores do estado, que terão que aceitar a renegociação de uma dívida com o desconto que o devedor impuser. E quem não aceitar vai pra chibata, como já alertou o capataz Gilberto Carneiro.

Guardada as devidas proporções, se a Paraíba fosse um país RC seria considerado um déspota pela ONU e estaria na lista negra da Anistia Internacional e outras entidades de direitos humanos.

Mas, como na poesia de Carlos Drummond de Andrade, eis que no meio do caminho havia uma pedra e a arrogância sucumbe a crise econômica nacional e o que era vendido como milagre de gestão começa a ruir.

Como dizem que o mau por si só se destrói…