Fale Conosco

Em todo o Brasil, já foram registradas ao menos 2.982 denúncias de possíveis casos de “fura-fila” da vacinação contra a Covid-19 desde o início da campanha, em 17 de janeiro. Isso significa que uma a cada 1.341 doses aplicadas no país foram destinadas a pessoas que não se enquadram no grupo de prioridade estabelecido pelo Ministério da Saúde.

De acordo com levantamento feito pelo Jornal O Globo, na Paraíba foram registradas 60 denúncias até a última terça-feira (09). Os dados foram levantados junto aos Ministérios Públicos e às Ouvidorias Gerais dos estados e fazem parte de um cenário de escassez de imunizantes e problemas de planejamento e distribuição.

Os estados com mais relatos de infrações são o Rio Grande do Norte, com 640; Minas Gerais, com 589; e Rio de Janeiro, com 413.

Na tentativa de coibir a prática, os MPs e as secretarias de Saúde vêm investindo em canais para receber denúncias da população, por e-mails ou mensagens de WhatsApp. Os relatos recebidos são encaminhados para as promotorias, que seguem com as investigações.

Conforme informações, todas as denúncias recebidas pela Ouvidoria passam por uma triagem e são direcionadas às Promotorias de Justiça das respectivas cidades citadas. Os promotores de Justiça têm atribuição na área da saúde para apurar devidamente as reclamações.

As pessoas podem registrar sua denúncia na Ouvidoria, através do formulário em https://ouvidoria.mppb.mp.br/public/manifestacao/cadastrar. Além disso, as queixas também podem ser feitas por meio do Protocolo Eletrônico e pelos canais diretos das promotorias de Justiça (telefone fixo, WhatsApp e e-mail), ou atendimento presencial. Esses canais podem ser acessados em www.mppb.mp.br/contatospromotorias.