Fale Conosco

A adesão do PP de Paulo Maluf à candidatura de Fernando Haddad em São Paulo foi obtida em dois lances. Num, Dilma Rousseff mandou acomodar um apadrinhado de Maluf, o engenheiro Osvaldo Garcia, na poltrona de secretário de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades.

Noutro, o ministro Aguinaldo Ribeiro (Cidades), representante do PP na Esplanada, tornou-se credor de uma fatura política que seria paga na Paraíba. O PT comprometeu-se a apoiar a irmã do ministro, Daniela Ribeiro, candidata do PP à prefeitura da cidade paraibana de Campina Grande. Deu chabu.

Em encontro realizado neste sábado (30), o PT de Campina Grande ignorou o acerto firmado pela cúpula da legenda no eixo Brasília-São Paulo. Em vez de apoiar Daniela, a irmã do ministro, o PT preferiu lançar um candidato próprio: Alexandre Almeida, presidente do diretório petista no município. Como vice, outra petista: Flávia Pontinelle.

Para atender às exigências de Maluf e responder às conveniências de Aguinaldo Ribeiro, o PT comprara briga com o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), o presidente da CPI do Cachoeira.

Campina Grande é a base eleitoral de Vital. O atual prefeito da cidade é Veneziano Rêgo, irmão do senador. No poder há oito anos, Veneziano governava com o apoio do PT local. Súbito, os petistas romperam a aliança. Negaram-se a apoiar a candidata dos irmãos Rêgo à prefeitura, Tatiana Medeiros (PMDB).

Há nove dias, o presidente do PT federal, Rui Falcão foi à presença de Vital para informar que o PT apoiaria Daniela Ribeiro em Campina Grande, não Tatiana Medeiros. Presente à conversa, o líder petista na Câmara, deputado Jilmar Tatto (SP), traduzira o movimento: “O fato de o ministro Aguinaldo Ribeiro ter ajudado a resolver a questão da eleição em São Paulo tem que ser levado em conta.”

Faltou combinar com os russos de Campina Grande. Em comunicado oficial enviado ao blog, Alexandre Almeida, o mandachuva do PT municipal e novo candidato da legenda à prefeitura da cidade, explicou:

“Estávamos debatendo há aproximadamente um ano e meio que o PT iria lançar uma candidatura própria para disputar a prefeitura de Campina Grande. Ao longo deste período fomos amadurecendo a ideia e hoje chegamos a formalização da candidatura.”
 Alexandre diz não temer uma intervenção do PT nacional no diretório municipal.

Quer dizer: além de se indispor com Vital, o PT vendeu um gato ao ministro Aguinaldo em Brasília e entregou lebre na Paraíba. Por enquanto, só Maluf lucrou na transação.

Blog do Josias – Uol