Fale Conosco

Anotem aí: governistas vão entrar no segundo tempo da truculência. Esqueçam as máquinas pesadas, os capangas com farda da Guarda Municipal. O que vem por aí é muito pior.

Passem os olhos no mundo agora e percebam que a internet virou espinha de garganta para os governos totalitários. Quem faz coisa errada anda irritado e com medo da internet.

Os sites, os blogs, o twitter e as redes sociais fogem ao controle de quem precisa de uma imprensa mansa, garroteada, subserviente.

No tabuleiro do xadrez político algumas peças foram movidas, removidas, escanteadas, apunhaladas. O objetivo é a limpeza ou a purificação da espécie. Jornalista combativo não serve. Só bajuladores.

Agora vem a segunda onda. Como não conseguiram silêncio total e os focos de resistência produzem chamas de liberdade e bolsões de resistência, só resta agora o chicote jurídico, última etapa antes das ameaças a integridade física. Estamos preparados.

A resistência se agrupa basicamente no portal de notícias ClickPb, onde está um grupo que não se rende aos contracheques constantemente oferecidos.

Aqui está entrincheirado o meu blog, aqui estão aqueles que já conhecem o modus operandi do político Ricardo Coutinho e que não vão se dobrar as pressões seja quais forem. Denunciamos seus desmandos desde o primeiro ano de mandato na PMJP.

Se no mundo Árabe as mídias sociais resistem e fazem avançar a onda de liberdade, na Paraíba não será diferente.

Somos poucos, mais capazes de fazer chegar a qualquer parte da Paraíba e do mundo denúncias que os outros meios de comunicação não se atrevem pelo simples fato de que precisam do dinheiro do Governo e da PMJP para fechar as contas no final do mês.

Aqui nessa trincheira digital, não. Os policiais podem contar, os professores, os sócios do Aeroclube, os camelôs, os pequenos comerciantes perseguidos, todos, enfim.

Ao contrário do que a secretária de Finanças Aracilba Rocha afirmou, a insatisfação começa a ser maioria. Calar a imprensa rebelde e corajosa passará a ser uma condição sine qua non para o projeto político do governador sobreviver a tormenta das greves em efeito cascata.

Aviso aos navegantes: seremos a caixa de ressonância da voz rouca das ruas. Custe o que custar.

Estamos sim juntos no mesmo lugar, mas com uma diferença: nos multiplicamos velozmente em todas as direções com uma ferramenta que os poderosos não podem controlar.  A internet.