Fale Conosco

Protestos contra governo Temer nesta sexta-feira (30), interditaram rodovias e aeroportos do país. Várias cidades aderiram a greve geral contra as medidas de reforma trabalhista. Manifestantes também pedem diretas já.

Belo Horizonte – Os metroviários de Belo Horizonte aderiram à paralisação desta sexta-feira (30) marcada pelas centrais sindicais contra as reformas trabalhistas e da previdência. O sindicato dos metroviários informou que o metrô fica parado da 0h às 11h59. Não será mantida uma escala mínima, mesmo a Justiça determinando o funcionamento de todos os trens, nos horários de pico, das 5h30 às 10h e das 16h às 20h. Nos outros horários, a determinação é manter 80% dos trens funcionando. O descumprimento gera uma multa diária de R$ 250 mil. A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) informou que 13,5 mil passageiros usam o metrô, por dia, entre Belo Horizonte e Contagem, na Grande BH.

Vitória – A manhã desta sexta-feira (30) começou com protesto em frente à Rodoviária de Vitória. Os manifestantes bloquearam a avenida por volta das 6h40. Para liberar o trânsito, a tropa de choque da Polícia Militar entrou em ação usando bombas de efeito moral. Os manifestantes são contrários à Reforma Trabalhista e da Previdência, propostas pelo governo de Michel Temer. Todas as faixas da avenida em frente à rodoviária, no Centro de Vitória, foram interditadas. Por volta das 6h50, eles seguiam em passeata pelas ruas da capital. Por volta das 7h20, eles passaram pela avenida Princesa Isabel.

Florianópolis – Manifestantes fazem protestos e paralisações em Santa Catarina nesta sexta-feira (30) contra reformas em tramitação no Congresso. Pelo menos três rodovias registram bloqueio no início da manhã. Em Florianópolis, os ônibus pararam de circular às 8h e só devem voltar às 11h. Rodovias – Em Florianópolis, o bloqueio da BR-282 começou por volta das 6h no km 0,5, na área continental. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), um grupo de cerca de 50 pessoas fechou a Via Expressa na direção da Ponte Pedro Ivo, que dá acesso à ilha. Os manifestantes afirmam que aproximadamente 200 pessoas participaram do ato, entre entidades sindicais, representantes das centrais, movimentos sociais e estudantes. Por volta das 6h30 começou um confronto entre Polícia Militar e manifestantes. Conforme a RBS TV, bombas de efeito moral foram jogadas para tentar liberar o trânsito. Duas pessoas ficaram feridas, segundo os manifestantes. Alguns relataram também uso de gás de pimenta. Após ação da PM, por volta de 6h50, os participantes se dispersaram e a rodovia foi liberada.

Salvador – Rodoviários pararam os ônibus em fila na Avenida ACM (região do Iguatemi), no sentido Paralela, em Salvador, e muitos passageiros desceram dos coletivos para seguir a pé na manhã desta sexta-feira (30). No mesmo local, um grupo de manifestantes fecha todas as vias da região da rodoviária, no sentido Paralela. Um longo congestionamento se formou na região, alcançando áreas da cidade como a Rótula do Abacaxi. Segundo informações da Transalvador, a Avenida Bonocô permaneceu com trânsito livre nos dois sentidos porque o fluxo foi desviado para o sentido Avenida Luís Eduardo Magalhães, fazendo com que os motoristas evitem passar pela Avenida ACM bloqueada.

Sergipe – Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que desde as primeiras horas da manhã desta sexta-feira (30) três trechos da BR-101 foram fechados por integrantes Frente Brasil Popular, que realizam protestos contra às reformas trabalhistas e da Previdência. Eles também são a favor de eleições diretas. Organizadores e polícia não informaram quantas pessoas participaram dos atos. Os pontos interditados nos dois sentidos nas rodovias federais são: KM 9, da BR 235, no município de Nossa Senhora do Socorro e nos quilômetros 89, também em Nossa Senhora do Socorro, e no 70, no município de Maruim. Na capital sergipana, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Aracaju (Setransp) informou que conseguiu uma liminar para manter 30% da frota atendendo a população, mas segundo o sindicato, os trabalhadores rodoviários impediram a saída dos veículos desde as primeiras horas desta sexta-feira. Com a ausência dos veículos nas ruas, o sindicato estima que cerca de 230 pessoas foram afetadas.

 

Fonte: Wscom