Fale Conosco

Foi retomado pelo prefeito Cícero Lucena o Plano de Ação João Pessoa Sustentável, que prevê a transformação do Lixão do Róger em Parque Socioambiental. O projeto está entre as ações prioritárias do programa João Pessoa Cidade Sustentável, que destinará 200 milhões de dólares a 60 projetos na cidade, sendo metade financiada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e metade em contrapartidas da Prefeitura.

Em janeiro, foi lançado pela Controladoria-Geral do Município (CGM) o edital de licitação para a recuperação de toda a área e o processo de contratação do serviço está em fase avançada e de acordo com as políticas do BID. O prazo definido para a abertura das propostas técnicas será no dia 26 deste mês. A partir daí, terá início o projeto executivo, que deve ser elaborado em seis meses.

De acordo com a Unidade Executora do Projeto João Pessoa Sustentável (UEP), na implantação do Parque Socioambiental, serão usados apenas materiais sustentáveis e com eficiência energética.

O Lixão do Róger conta com uma área de 309.496 m², aproximadamente 31 hectares. O projeto socioambiental no local terá pista de corrida, trilhas ecológicas, ciclovia, campo de futebol, minicampos de vôlei de areia, futebol society e futevôlei. A ideia é fazer com que toda a população da cidade possa usufruir de um novo espaço completamente adaptado para atividades recreativas, esportivas e de educação ambiental.

A requalificação do antigo Lixão do Róger está inserida dentro do melhoramento do Habitat em Assentamentos Irregulares Vulneráveis. O projeto foi desenvolvido com base no diagnóstico dos problemas da cidade, trazendo soluções para o enfrentamento de cada um deles. O objetivo é fazer com que a capital paraibana cresça de forma planejada, combatendo a desigualdade urbana, as mudanças climáticas, otimizando o uso do solo e a competitividade da Economia.

Coleta Seletiva – O prefeito Cícero Lucena visitou a área do antigo Lixão do Róger nos primeiros dias de gestão e adiantou que pretende ampliar a coleta seletiva nos bairros da Capital por dois motivos. O primeiro deles tem a ver com a questão econômica, visando contribuir para o aumento da renda das famílias que vivem da reciclagem. Atualmente, 176 pessoas estão cadastradas na Associação de Catadores de Materiais Recicláveis (Astramare). Todas essas pessoas vão passar por capacitação, de acordo com o prefeito. O outro ponto está relacionado à ampliação da vida útil do Aterro Sanitário, estimada em 25 anos.

Histórico – Por cerca de 45 anos, a área conhecida como Lixão do Róger, na Capital, foi usada de forma inadequada. Em agosto de 2003, na gestão Cícero II, o lugar, que recebia 1 tonelada de lixo por dia, foi transformado em um aterro sanitário. Era o começo de uma política socioambiental para resolver vários problemas de uma só vez: a degradação do meio ambiente, o tratamento do chorume derivado do lixo e a proteção das famílias em condições insalubres e perigosas.

O objetivo era criar um Parque. Nas gestões seguintes, o projeto praticamente parou. Em 2015, o ex-prefeito Luciano Cartaxo chegou a anunciar o início da obra por meio do Projeto João Pessoa Sustentável mas de lá pra cá nada foi feito, além da recuperação de parte do solo.