Fale Conosco

A Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-JP) está realizando fiscalização em mercados e supermercados da Capital para verificar se os estabelecimentos estão obedecendo a determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que proibiu a comercialização do lote L.1107:35 do extrato de tomate da marca Quero, que contém pelos de roedores acima do limite tolerado pela legislação.

A proibição da distribuição e comercialização desse produto por parte da Agência ocorreu na segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017, em todo território nacional. “Também foi determinado o recolhimento desse lote que já está no mercado. Segundo a Anvisa, foi encontrada matéria estranha macroscópica e microscópica na análise do produto, o que pode vir a provocar riscos à saúde”, explicou o secretário Ricardo Holanda.

De acordo com Ricardo Holanda, os fiscais do Procon-JP passarão os próximos dias fazendo a verificação do lote L.1107:35 do extrato de tomate da marca Quero nas prateleiras dos supermercados e mercados de João Pessoa. “Todos os produtos em questão deverão ser recolhidos pelos estabelecimentos. Como se trata de alimento, o risco à saúde do consumidor é uma realidade e por isso devemos agir rapidamente”, disse.

O titular do Procon-JP acrescenta que a empresa Heinz Brasil SA, que fabrica o produto, informou, através de nota, que o lote do extrato de tomate Quero foi fabricado em dezembro de 2015 e que já vem tomando providências para a retirada do produto do mercado de consumo desde agosto de 2016. “Não importa o que a empresa tenha feito para acabar ou minimizar o problema. Nós vamos, in loco, verificar se há algum produto contaminado à venda em nossa cidade”, garantiu Ricardo Holanda.