Fale Conosco

A Câmara Municipal de Campina Grande realizou, na manhã desta segunda-feira (21), uma sessão especial para receber o príncipe Dom Bertrand de Orleans e Bragança. A sessão atendeu a uma propositura do vereador Fernando Carvalho (PT do B), em solicitação da Sociedade São Bento, Revista Vila Nova e os acadêmicos dos cursos de Direito, Comunicação Social e História. Em seu discurso, o príncipe agradeceu as honras da CMCG e defendeu o retorno da Monarquia.

“Considero que o Brasil tem uma estrutura fundamentalmente municipalista e eu gosto muito das Câmaras Municipais, porque nos municípios a representação política é mais autêntica do que no Estado e na Federação”, falou o príncipe, ao comentar o fato da CMCG abrir as portas para recebê-lo. “Por isso agradeço por essa sessão em Campina Grande e agradeço ao vereador Fernando Carvalho, à presidência da Casa e todos que me convidaram”.

 A sessão contou com a presença de vereadores, autoridades políticas de Campina Grande e região, além de estudantes campinenses. Como autor da propositura, o vereador Fernando Carvalho deu as boas vindas ao membro da realeza e destacou a importância histórica do momento, e convidou o príncipe D. Bertrand para conhecer melhor a cidade de Campina Grande e todo o seu potencial.

 “Desejamos que durante esses três dias tenha a oportunidade de conhecer nossa cidade, que é pólo tecnológico e educacional, que importa tecnologia para todo mundo, além de possuir grandes e importantes instituições de ensino superior. Enfim, desejamos que conheça melhor nossa amada Campina Grande”, desejou Carvalho.

Em conversa com a imprensa, o príncipe Dom Bertrand destacou os valores da Monarquia e disse esperar seu retorno um dia. “Não duvido que a Monarquia possa voltar, porque de fato está provado que a República não deu certo”, declarou. “Compare o Brasil do Século 19 com o Brasil de hoje, no conceito de honestidade, progresso e etc., naquele tempo éramos primeiro mundo. Então defendo a Monarquia não por interesse individual, mas porque o Brasil deu certo na Monarquia”.