Fale Conosco

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Ricardo Marcelo (PSDB), repeliu com veemência as insinuações de que teria, de forma indireta, influenciado no resultado das votações desta terça-feira (17.04). “Todos são testemunhas de que fiz o possível, correndo o risco inclusive de ser incompreendido pela sociedade, porque a Assembleia represou mais de 400 matérias, para tentar até a última hora um acordo entre as partes, Governo e Sindifisco”, destacou.
O desabafo de Ricardo Marcelo foi feito da Mesa Diretora da ALPB. Ele foi enfático ao afirmar que a Presidência da Casa “não aceita ser alvo de censura”, porquanto sua atuação tem sido respeitosa, harmoniosa e prima pela interdepência entre os Poderes. “A presidência da Casa foi alvo de censura. Eu queria dizer a todos, a quem interessar possar, que enquanto eu estiver à frente da ALPB não vou admitir ataques gratuitos a esse Poder”, disse.

Em alguns trechos de sua fala, Ricardo Marcelo chegou a ser interrompido por aplausos vindos das galerias, que foi ocupada mais uma vez, nesta quarta-feira (28), por representações dos servidoes públicos estaduais. “Minha função não é (e nunca foi) cabalar votos para governo e nem para oposição”, lembrou.”Vou continuar agindo como magistrado e não deixarei este Poder ser pautado por interesses externos, de quem quer seja”.

Ricardo Marcelo sustentou que não é de sua prerrogativa, como presidente do Poder Legislativo, gerenciar votos. “Não admito e nem me submeto a nenhum tipo de extorsão. Quem usa desse tipo de atitude, tentando fazer que a Casa se curve a interesses de outros, vai perder tempo”, avisou.

Segundo ele, o Poder Legislativo mantém uma relação harmônica e procura viver pacificamente com todos. “Enquanto eu estiver como presidente, agirei com magistrado. Fiz o possível para que fosse feito um acordo. Corri um sério risco de ser criticado por não dar andamento às votações. Foram represadas quase 400 matérias na tentativa desse acordo. A Mesa da ALPB fez o possível, mas esse acordo não foi firmado, mesmo após quatro reuniões que coordenou entre setores do Governo e do Sindifisco”, observou o presidente.

Ricardo Marcelo mandou um duro recado aos que promover essas insinuações. “Não tenho medo de perseguição e de retaliação. Sou presidente até 2015 e vou gerir a ALPB com altivez.Essa é a independência do Poder Legislativo que queremos, que perseguimos e quem vamos seguir”, afirmou.

Por fim, ele rebateu críticas por não estar no plenário na hora da votação nesta terça. Lembrou que a Mesa Diretora tem três vices-presidente, com prerrogativas de dar andamento aos trabalhos legislativos. “Ao presidente cabem outras prerrogativas fora do plenário. Nós temos três vices-presidentes, a exemplo do deputado Edmilson Soares, que tão bem dirige os trabalhos nesta Casa. Sei que o comando dos trabalhos estará sempre em boas mãos. Não é prerrogativa da Presidência articulação de bancada A ou de bancada B”, finalizou.

 

com assessoria