Fale Conosco

O prédio onde está instalado o ProgramaInterlegis passa a ser denominado Edifício Senador Ronaldo Cunha Lima. A decisão, tomada pela Comissão Diretora em reunião na última terça-feira (7), é uma homenagem ao ex-senador, que exercia o papel de primeiro secretário na época de criação do Interlegis, em 1997, e que contribuiu no processo de sua implantação.

O local receberá um busto em bronze do ex-senador. O molde está sendo esculpido em argila pelo servidor da Casa, lotado na Secretaria de Editoração e Publicações (SEEP), Jonas Neto. Com 32 anos de casa, o servidor é conhecido por suas obras de arte. O talento do artista plástico pode ser visto nos corredores da Gráfica, onde parte de seu trabalho está exposto.

A criatividade e a qualidade das peças já foram reconhecidas pelo público em exposições tanto no Brasil quanto fora do país. Mas este é o primeiro busto que o artista realiza na Casa.

Tenho muita honra de poder transformar a argila em personalidade do ex-senador. Ele sempre foi uma pessoa muito simpática e também foi um poeta. E poesia inspira arte. – declarou.

Jonas Neto, cuidadosamente e aos poucos, define os traços. A escultura com aproximadamente 73 centímetros ficará pronta em cinco dias. Após esse processo, servirá de base para confecção do modelo em bronze.

O artista acredita que o talento seja algo divino e revela que, por mais sério que seja o trabalho, é uma volta à infância.

Sou orientado por Deus, ele que me deu o dom. No mundo da arte tudo é simples. Quando começo um trabalho, me sinto uma criança brincando. O cansaço só chega quando estou satisfeito com o que estou fazendo. – explicou.

A confecção do busto é uma maneira de homenagear a vida política do parlamentar, que iniciou a carreira como vereador de Campina Grande, na Paraíba, onde também chegou a ocupar o cargo de prefeito. Foi deputado estadual e governador da Paraíba, deputado federal e senador da República.

Pai do ex-governador e atual senador pela Paraíba Cássio Cunha Lima, destacou-se também na poesia com a publicação de livros, muitos versando sobre o amor. Foi membro da Academia Campinense de Letras e da Academia Paraibana de Letras (APL). Graduado em Direito pela Universidade Federal da Paraíba, chegou a compor o Conselho Federal da OAB.

Ronaldo Cunha Lima faleceu em 2012 em decorrência de câncer no pulmão.

Wscom