Notícias

Por atraso no jabaculê da SECOM, humoristas perdem a graça e abandonam programa da Miramar FM

Está cada vez pior à situação dos três porquinhos da imprensa paraibana e a casa pode cair a qualquer momento. E já não é lugar comum o ex-secretário de Comunicação Nonato Bandeira despachar o dia todo no escritório de Fabiano Gomes, como vinha fazendo desde que deixou o governo para ser pré-candidato a prefeito.

Desta vez foram os humoristas Cristovam Tadeu e Marcelo Piancó foram as vítimas do trio emporcalhado.

É que a dupla recebia cada um quatro mil reais para falar bem do governo e meter o pau na oposição da Capital. Tudo em forma de lorota.

Apesar de Cristovam ser meio sem graça, Piancó salvava o programa com suas piadas, mas desde sexta a dupla caiu em desgraça e abriu o jogo em público ao dizer que há dois meses não recebiam cachê.

Lá nos corredores da Miramar FM, emissora educativa da Fundação Virgínius da Gama e Melo, atualmente controlada por João Gregório, a situação é de vaca desconhecer bezerro e, por favor, não chamem mais o diretor comercial do Sistema Arapuan, Cleonaldo, e Petrônio Torres para o mesmo ambiente.

Sabe-se que havia um repasse vultoso da SECOM estadual para os três porquinhos tocarem a negociata, mas desde que começaram os boatos sobre um rombo de sete milhões que a torneirinha teria sido fechada para evitar a sangria desatada.

O que antes era lugar comum, hoje não vemos mais fotos de viagens internacionais nos Facebooks dos três porquinhos e adjacências, como também é coisa difícil encontrá-los em restaurantes caros.

Assim como os humoristas Cristovan Tadeu e Marcelo Piancó, muitos estão desempregados e doidos para abrir o bico.

EM TEMPO: Cristovam ainda não sabe se recebe o salário do mês lá na Rádio Tabajara, mas já compraram um livrinho de ouro pra fazer sua feira em caso de demissão.