Fale Conosco

O movimento paredista dos servidores de segurança do Estado foi decretado ilegal pelo Tribunal de Justiça da Paraíba, na tarde desta quarta (2). No entanto, o embate entre a categoria e o governo ainda promete cenas de muita tensão. Policiais em vigília na praça João Pessoa garantem que não abandonarão as trincheiras até que suas reivindicações sejam atendidas.

Para o coronel Maquir Cordeiro, da Caixa Beneficente dos Militares, como não tem propostas, o Governo tenta calar o movimento paredista de qualquer forma. Ele garante que decretar a ilegalidade de greve não fará os policiais desistirem do movimento.

O coronel acusa o governo de não apresentar contraproposta ao Fórum de Entidades de Segurança Pública. Ele adiantou que mesmo obedecendo a Justiça, a vigília em frente ao Palácio da Redenção deve continuar.

Na última reunião em que tentavam um acordo, polícia e Governo não entraram em entendimento e a troca de acusações não deixou as negociações avançarem. Do lado de Ricardo, a orientação é não afrouxar para que o movimento não sirva de exemplo a outras áreas que também ensaiam paralisar as atividades. Por parte dos policiais, desistir agora seria jogar flores no túmulo da PEC 300.

Livânia Farias, procuradora geral, afirmou após a reunião que não houve nenhum entendimento e que, segundo ela, os representantes dos servidores continuam a apresentar propostas inalcançáveis. Ela disse que assim que o Estado tiver condições legais irá propor ganho real aos policiais, mas quando será isso, só Deus sabe.