Fale Conosco

A reconstituição do atropelamento que resultou na morte do agente da Operação Lei Seca, Diogo Nascimento Souza, deve acontecer na noite desta terça-feira (31), em João Pessoa. De acordo com o delegado de homicídios Reinaldo Nóbrega, os agentes que estavam na blitz no dia do ocorrido, testemunhas, motoristas que foram parados na blitz e o suspeito, Rodolpho Gonçalves Carlos da Silva, foram intimados a participar da simulação do atropelamento.

Em nota, a defesa de Rodolpho Carlos da Silva informou que o motorista vai atender aos termos da intimação.

De acordo com o delegado do caso, o suspeito tem o direito de não comparecer e, no caso de comparecer, não participar da reconstituição do caso. O objetivo da reprodução simulada, segundo Nóbrega, é aproximar as versões relatadas com o que de fato aconteceu na noite do atropelamento.

“A cena vai ser montada da mesma forma que estava no dia do fato. Na verdade, eu quero confrontar se tudo que foi dito, se os depoimentos que foram colhidos na delegacia, coadunam com a realidade, se existe uma relação do que foi dito com o que aconteceu. O que a gente quer é que esse caso tenha uma solução”, explicou o delegado.

Além dos intimados a participar da reconstituição e da Polícia Civil, uma equipe do Instituto de Polícia Científica (IPC) deve contribuir com a reconstituição, uma vez que a reprodução simulada é um exame pericial. Equipes da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob) e da Polícia Militar também vão colaborar com os trabalhos, garantindo a segurança.

Embora a previsão da reconstituição seja de acontecer por volta das 20h (horário local) desta terça-feira (31), a realização depende da melhora da condição climática. De acordo com Reinaldo Nóbrega, é preciso que a chuva cesse para que a reconstituição aconteça, tendo em vista que as condições da simulação precisam se aproximar ao máximo das versões dadas.

Suspeito se apresentou à polícia

Rodolpho Carlos se apresentou à Polícia Civil na manhã do dia 24 de janeiro, na Central de Polícia de João Pessoa. O suspeito chegou à delegacia por volta das 8h (horário local) acompanhado de dois advogados e foi atendido pelo delegado Marcos Paulo Vilela, que informou que o jovem “se reservou o direito de permanecer em silêncio”. O motorista deixou a delegacia por volta das 11h50 (horário local).

Vilela informou que o delegado Reinaldo Nóbrega assumiu o inquérito e a expectativa é de que o trabalho seja encerrado em no máximo 20 dias, com todos os laudos anexados.

Fonte:G1Pb