Fale Conosco

A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), através da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), promoveu uma campanha de combate ao trabalho infantil e à exploração sexual de crianças e adolescentes, na manhã desta quinta-feira (18), nas dependências do Sistema de Trens Urbanos de João Pessoa (CBTU), no Varadouro. A ação se estende por todo mês de maio, com programação de panfletagem e oficinas em escolas municipais.

De acordo com a coordenadora do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), Ariana Nogueira, a campanha é de suma importância para desnaturalização do trabalho infantil e da exploração sexual.

“É uma forma de conscientizar a sociedade e as famílias dos danos da exploração, do abuso e do trabalho infantil para criança e adolescente e consequentemente para o futuro da sociedade. Criança desprotegida é criança fora da escola. A sociedade tem que denunciar para poder alcançarmos esse público”, ressaltou.

Ainda segundo Ariana Nogueira, durante todo mês de maio a Sedes realiza palestras neste sentido, com a presença de representantes de Conselhos Tutelares, Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e Centro de Referência de Assistência Social (Cras). A exemplo do que aconteceu ontem, na Escola Municipal Nazinha Barbosa da Franca, em Manaíra.

Ações – A coordenadora da Média Complexidade (CREAS), Josenilda Maria do Nascimento, explicou que, por meio de abordagens e panfletagem, o evento pretende sensibilizar a comunidade e entorno sobre os cuidados e a proteção das crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade e risco social.

“A realização do Dia D envolve políticas de Educação, Saúde, órgãos do sistema de garantia de direitos da criança (Conselho Tutelar) e de Assistência Social (Peti, Ruartes, Cras e Creas)”, destacou a coordenadora.

Dia D – No dia 18 de maio de 1973, uma menina de 8 anos foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada no Espírito Santo. Seu corpo apareceu seis dias depois, carbonizado, e os seus agressores, jovens de classe média alta, nunca foram punidos. O caso ficou conhecido como “Caso Araceli”.

A data ficou instituída como o “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”, a partir da aprovação da  Lei Federal nº. 9.970/2000.

Disque Denúncia – Para denunciar casos de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes, o cidadão deve ligar para a Secretaria Nacional de Direitos Humanos no ‘Disque 100’ ou o serviço de ‘Disque Denúncia municipal’, que atende no número 0800 28 27 969.

Fonte:Assessoria