Fale Conosco

Centrais sindicais e movimentos de esquerda de todo o país marcham em Brasília contra o presidente Michel Temer (PMDB) e as reformas da Previdência e trabalhista e pela convocação de eleições diretas nesta quarta-feira (24).

Durante o protesto, participantes do ato e Polícia Militar entraram em confronto. Foram disparadas bombas de gás e de efeito moral. A cavalaria da PM chegou a investir contra os manifestantes, que responderam jogando pedras e paus.

Chamado pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo e pelas centrais sindicais, a manifestação saiu do estádio Mané Garrincha e segue em direção ao Congresso Nacional.

Os organizadores falam em mais de 100 mil pessoas. A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal afirmou que até as 11h30 havia 25 mil manifestantes. O número estimado de ônibus que vieram de outros Estados é entre 500 e 600.

16h16

Confusão perto do Ministério do Planejamento

Confusão perto do Ministério do Planejamento

16h12

 

Pedro Ladeira/Folhapress
Manifestante lança explosivo no prédio da Agricultura

16h04

Ao menos 3 ministérios foram afetados

Foram depredadas fachadas dos ministérios da Agricultura, Meio Ambiente e do Planejamento.

 

Rubens Valente/Folhapress  
Fachada do Ministério da Agricultura deprepada

16h01

Carro de som anuncia uma pessoa baleada

Deputada Erika Kokay (PT) pediu ambulância para socorrer pessoa baleada, próximo ao Ministério da Fazenda. Ainda não há detalhes.

15h56

Sessão é retomada na Câmara

Retomada a sessão na Câmara. Oposição continua na Mesa e gritam “fora, Temer”. Governistas telefonaram para Rodrigo Maia cobrando a presença dele para tentar controlar o plenário e votar MP 767.

15h55

Repercussão no Congresso

Deputados de oposição colocam bombas de efeito moral estouradas na manifestação sobre a mesa da direção da Câmara. Seguranças já recolheram os artefatos e há discussão. Rodrigo Maia (DEM-RJ) assume comando cercado por congressistas de oposição

15h55

Feridos

Ainda de acordo com a secretaria, um dos manifestantes se feriu ao tentar atingir um policial militar com um rojão. O Corpo de Bombeiros fez até há pouco dois atendimentos, entre eles um policial.

15h49

Secretaria da Segurança fala em 4 detidos

Segundo boletim, cerca de 35 mil manifestantes estão, neste momento, na Esplanada dos Ministérios. “Na Alameda das Bandeiras, próximo ao Palácio da Justiça, manifestantes tentaram invadir o perímetro de segurança restrito previsto no Protocolo Integrado Tático (PrTI), mas foram contidos pela Polícia Militar, que usou progressivamente a força.”

De acordo com a pasta, quatro pessoas foram detidas, sendo três delas por porte de entorpecentes e porte de arma branca. Todos foram encaminhados ao Departamento de Polícia Especializada (DPE).

15h46

Temer manda esvaziar de prédios

Com o agravamento dos confrontos, o governo Michel Temer deu ordem de esvaziar os prédios da Esplanada dos Ministérios

15h44

Deputados gritam ‘fora, Temer’

Enquanto isso, no plenário da Câmara, deputados da oposição subiram e gritaram “Fora, Temer”; a sessão foi suspensa

15h41

Conflito com a PM já dura duas horas

O clima na marcha ficou tenso por volta das 13h30, quando os grupos chegaram ao bloqueio feito pela polícia, em frente ao Congresso.

Homens com máscaras antigás e camisas laranja da Força Sindical forçaram as grades e instaram as pessoas a invadir o Parlamento.

A Polícia repeliu a tentativa com spray de pimenta. Do alto de um dos carros de som, sindicalistas pediam uma marcha pacífica e que as lideranças controlassem suas bases.

15h41

Conflito com a PM já dura duas horas

O clima na marcha ficou tenso por volta das 13h30, quando os grupos chegaram ao bloqueio feito pela polícia, em frente ao Congresso.

Homens com máscaras antigás e camisas laranja da Força Sindical forçaram as grades e instaram as pessoas a invadir o Parlamento.

A Polícia repeliu a tentativa com spray de pimenta. Do alto de um dos carros de som, sindicalistas pediam uma marcha pacífica e que as lideranças controlassem suas bases.

15h41

Conflito com a PM já dura duas horas

O clima na marcha ficou tenso por volta das 13h30, quando os grupos chegaram ao bloqueio feito pela polícia, em frente ao Congresso.

Homens com máscaras antigás e camisas laranja da Força Sindical forçaram as grades e instaram as pessoas a invadir o Parlamento.

A Polícia repeliu a tentativa com spray de pimenta. Do alto de um dos carros de som, sindicalistas pediam uma marcha pacífica e que as lideranças controlassem suas bases.

Fonte: Folha de SP