Fale Conosco

A Polícia Federal na Paraíba, em parceria com a Controladoria-Geral da União, Ministério Público Federal em Campina Grande e Gaeco, deflagrou na manhã desta quinta-feira (2) a operação Cifrão, que apura crimes de fraude em licitações, superfaturamento em obras, peculato e lavagem de dinheiro das entidades que integram o Sistema S na Paraíba.

A investigação teve início a partir de auditoria da CGU na entidade paraestatal, na qual se constatou superfaturamento de mais de R$ 2 milhões em três obras de construção e reforma de Centros de Atividades. Também foi verificada a existência de vínculos entre os sócios das empresas contratadas, por meio de processos licitatórios fraudulentos, e colaboradores e dirigentes do Sistema Indústria da Paraíba (FIEP, SESI, SENAI e o Instituto Euvaldo Lodi).

A operação conta com a participação de 96 Policiais Federais e 9 Auditores da Controladoria-Geral da União no cumprimento de 28 mandados de busca e apreensão nas cidades de Campina Grande, Queimadas e João Pessoa. Em Queimadas, o alvo é a Prefeitura da cidade.

Uma entrevista coletiva será concedida às 11h, no auditório da Delegacia de Polícia Federal em Campina Grande.