Fale Conosco

O litoral paraibano voltou a ter mais de dez praias impróprias ao banho. A última vez que a ocorrência do elevado número de locais impróprios havia sido registrado pela Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema) foi em fevereiro, durante o Carnaval.

Segundo relatório de balneabilidade do órgão, das 56 praia, apenas 45 estão liberadas e onze devem ser evitadas pelos banhistas. Na Capital a praia de Manaíra em sua totalidade e trecho da praia do Bessa estão na lista dos “proibidos”.

Na praia do Bessa I, o banhista deve evitar o trecho que fica 100 metros à direita e 100 metros à esquerda do maceió.

Já na praia da Penha é bom evitar o trecho que fica 100 metros à direita e à esquerda da desembocadura do riacho do Cabelo. Na praia do Arraial, evitar o banho 100 metros à direita e à esquerda da desembocadura do Cuiá.

Na praia do Sol, evitar o trecho que fica 100 metros à direita e à esquerda da desembocadura do riacho Camurupim. No município de Cabedelo, evitar a Praia do Jacaré, na margem direita do estuário do Rio Paraíba.

Em Lucena, a praia de Costinha deve ser evitada nas proximidades do pontal de Lucena.

E em Pitimbu, deve-se evitar a praia do Maceió, no trecho que fica 100 metros à direita e à esquerda da desembocadura do Riacho Engenho Velho. Na praia do Guarita, evitar o banho 100 metros à direita e à esquerda da desembocadura da lagoa.

Na praia Azul/ Santa Rita o trecho que fica 100 metros à direita e à esquerda da desembocadura de riachos temporários que existem no local devem ser evitados. Enquanto na praia Ponta de Coqueiros ser evitada em toda sua extensão.

A Sudema ainda recomenda aos banhistas que evitem os trechos de praias localizados em áreas frontais a desembocaduras de galerias de águas pluviais, principalmente se houver indício de escoamento recente.

A equipe da Coordenadoria de Medições Ambientais da Sudema divulga, uma vez por semana, a situação de balneabilidade das 56 praias, por meio de coleta de material para análise nos municípios costeiros do Estado. Em João Pessoa, Lucena e Pitimbu, que são praias localizadas em centros urbanos com grande fluxo de banhistas, o monitoramento é semanal. Nos demais municípios do litoral paraibano a análise é realizada mensalmente. 

Fonte:MaisPb