Fale Conosco

Depois da Justiça determinar que Campina Grande inclua leitos da Covid-19 no sistema de regulação estadual, o prefeito Bruno Cunha Lima anunciou que irá recorrer da decisão do juiz Ruy Jander de Teixeira Rocha, da 3ª Vara da Fazenda Pública de Campina Grande. Para o gestor, a Secretaria de Saúde do Estado está orquestrando uma ação para colapsar o Hospital Pedro I e a rede municipal de Saúde da cidade, por motivações políticas.

Bruno relatou que a decisão da justiça causou estranhamento, pois não há nos Ministério Público Estadual e Federal denúncias sobre problemas na regulação e no gerenciamento da saúde em Campina Grande, sobretudo no âmbito do Hospital Pedro I, que é referência regional no tratamento aos pacientes acometidos da Covid-19. Atualmente, a Secretaria de Saúde de Campina Grande faz a regulação no âmbito da 2ª Macrorregião de Saúde do Estado.

O prefeito alega que a gestão estadual que incluir Campina Grande no caos criado por eles próprios, quando não ampliou a oferta do número de leitos, além de não realizar trabalho preventivo, negligenciando outras providências necessárias para o combate a pandemia no território paraibano.

O gestor campinense disse que o Hospital Pedro I nunca recusou pacientes de Campina Grande e de toda a Paraíba. “Sempre que solicitado, o hospital esteve e permanece de portas abertas. Querem com uma falsa narrativa colapsar o complexo hospitalar da cidade, sendo esta a real intenção do governo do Estado”, apontou.