Fale Conosco

Se eu fosse Romero Rodrigues moderava o tom e não perdia de vista o rabo de palha frondoso sempre prestes a pegar fogo vide àqueles cheques que também distribuiu em Campina quando era secretário de Interiorização do primo Cássio.

Na ânsia de se afirmar como candidato do grupo Cunha Lima, ele arremessa pedras na gestão de Veneziano, esquecendo-se que se for feito um comparativo entre os sete anos do Cabeludo e os 22 do seu grupo, quem leva a melhor é o atual prefeito, que tem como provar que otimizou todas as áreas em menor tempo. Mais que isso, Romero precisa explicar ao povo de sua cidade a péssima performance do governador que elegeu e hoje é o verdadeiro inimigo declarado da cidade.

Romero Rodrigues engrossa a fala e estufa o peito na frente das câmeras e microfones, mas deixa a guarda baixa para ser desmoralizado pelos números incontestáveis de uma gestão aprovado por quase 70% da população.

Atacar o indefensável é uma coisa, mentir descaradamente para enrolar a opinião pública é outra. E Romero mentiu. Romero foi peralta em sua passagem pela presidência da Câmara de Vereadores e se for feita uma devassa muita coisa vem à tona.

Diz o ditado que quem tem telhado de vidro não arremessa pedras no telhado alheio. Romero tem que ter a responsabilidade de saber que é candidato a prefeito de sua cidade e que essa coisa de se colar colou que ajudou a eleger Ricardo Coutinho o povo não admite mais. Ou o cara tem um plano de governo exeqüível ou é mais um enrolão querendo chegar por chegar. Pergunto: quem votou em Ricardo Coutinho a pedido de Cássio, a pedido mais uma vez de Cássio também vai votar em Romero?