Fale Conosco

O que vou dizer agora todo mundo lá na secretaria de Transparência da Prefeitura de João Pessoa sabe, afinal por lá tudo é transparente. 

Até duas semanas atrás o secretário Alexandre Urquiza vivia ao volante do Camaro vermelho de Pietro Harley, aquele acusado de se apropriar de 2,3 milhões da New Life, segundo denúncia do empresário Daniel Gonçalves à Época. 

Aliás, Pietro mesmo conta a todo mundo para se gabar que além desse Camaro também tem uma Hylux, uma Land Rover, um barco de 300 mil reais, dois jet skis, dois quadriciclos, uma fazenda com centenas de cabeças de gado em Taperoá e cerca de cinco imóveis em Campina.

O que ele vai ter que  contar agora é de onde e como consegue o dinheiro para comprar tudo isso. Pietro tem operado nos bastifores da PMJP e do Governo RC rindo e fazendo todo mundo rir. Daí, se você é um bom entendor, vem todo o seu sucesso de relações públicas. Coriolano gosta dele, Urquiza gosta, Edvaldo Rosas também. Pietro até sexta passada era o amigo íntimo deles.

Mas, justiça seja feita,  não era Urquiza quem estava com o simpatissíssimo, generoso e bem sucedido Pietro naquele dia em que ele foi sacar os 2,3 milhões em Taperoá. Estava com ele quem facilitou tudo e determinou que a tesouraria pagasse Pietro em cheque pessoa física quando a regra determina que fosse feito uma TED para pessoa jurídica.

Tudo foi orquestrado para o dinheiro bater e voltar, a pressa era grande e Pietro ficou com uma pequena parte, o restou voltou provavelmente para o caixa de campanha, como denuncia Daniel.

Eram momentos decisivos do primeiro turno da eleição e faltava dinheiro para tudo na campanha de RC e, convenhamos, qualquer milhãosinho era bem-vindo. 

Quando Daniel disse no vídeo que o dinheiro foi desviado para a campanha de RC, ele sabia o que estava dizendo, pois é parte do submundo das licitações e sabe muito bem como vencer uma concorrência fazendo “acordos”. 

Se a oposição convocar Pietro e Daniel na Assembléia, Urquiza, Edvaldo Rosas e Coriolano vão ter uma grande surpresa. 

Considerando que esse é apenas o fio da meada e que essa recente aquisição de livros pelo Governo do Estado no valor de 11 milhões também traz problemas parecidos, o que falta para se criar uma CPI? 

Mas, vou logo avisando: Trócolli não vai assinar e Ricardo vai ter que entrar com Daniel na cova dos leões. Por enquanto só posso dizer isso.