Fale Conosco

A ausência do presidente Jair Bolsonaro no evento comemorativo do 146º Aniversário de Nascimento de Alberto Santos-Dumont, das Forças Armadas, na última sexta-feira (19) foi notado por poucos, mas o fato é que o não comparecimento do ex-militar pode ter vários significados – dentre eles o constrangimento internacional que sofreu na Espanha que ainda paira pelos ares presidenciais.

O constrangimento maior foi ver que o evento da FAB, em homenagem ao Patrono Santos Dumont, foi trocado pela Cerimônia do Dia Nacional do Futebol, também em Brasília. Evento organizado pelo ministro Osmar Terra onde foram premiadas várias personalidades futebolistas.

Informações de bastidores dizem que o constrangimento do presidente não para por aí. O anúncio feito pelo governo de que ocorreria um grande contingenciamento, de cerca de R$ 2,5 bilhões, em apenas um dos ministérios provavelmente refere-se ao Ministério da Defesa.

Uma sequência de conflitos teria desgastado a relação entre Bolsonaro e as Forças. Um deles foi o general Luiz Rocha criticar junto ao Estado de São Paulo a fala do presidente sobre os governadores do Nordeste. Segundo o militar, a fala de Bolsonaro incentiva a divisão do país.

Logo em seguida, Bolsonaro respondeu: “sem querer descobrimos um melancia, defensor da Guerrilha do Araguaia, em pleno século XXI”.

Da redação