Fale Conosco

A oposição mostrou hoje que não está para brincadeira e deu um nó na bancada do governo na Assembléia Legislativa.

Parlamentares oposicionistas quebraram o quorum da sessão ordinária e saíram do plenário para não votarem a Medida Provisória 164, aquela mesma que trata do remanejamento de verbas da Barragem Camará para o Centro de Convenções e que teve parecer contrário da Comissão de Orçamento da Casa.

Numa manobra da situação, a matéria entrou na Ordem do Dia, quando, segundo o líder da oposição, deputado André Gadelha, só pode ser incluída na pauta como recurso, conforme o regimento da Casa.

Vendo que tudo podia ir por água abaixo, já que a quebra de quorum prejudicaria a votação de outras matérias do governo, o líder da situação, Lindolfo Pires, apelou para todos os santos, pedindo para que os deputados retornassem ao plenário e participassem da votação, se comprometendo a retirar a MP 164 de pauta.

Os deputados oposicionistas voltaram, mas ainda conseguiram botar mais água no chope governista.

Na votação da Medida Provisória que cria a Secretaria de Desenvolvimento e Articulação Municipal, o deputado Anísio Maia apresentou uma emenda propondo a ampliação da atuação da pasta para todos os 223 municípios e não apenas para os grandes centros do estado. A emenda recebeu parecer contrário do governo, mas foi aprovada com os votos de três deputados governistas: Janduhy Carneiro, José Aldemir e Toinho do Sopão.

No frigir dos ovos, a situação comeu o pão que o diabo amassou na sessão de hoje e a oposição mostrou que aquela história de maioria absoluta do governo na Assembléia Legislativa é conversa para boi dormir.