Notícias

Operação Orange descobre mais 8 empresas laranjas e abre nova frente de investigação

Mais oito empresas laranjas foram descobertas na 2ª Fase da Operação Orange que investiga empresas acusadas de participar de esquema criminoso de sonegação fiscal, falsidade ideológica e falsificação de documentos na Grande João Pessoa. Uma das empresas investigadas teria faturado R$ 2 milhões de forma fraudulenta.

A operação deflagrada em 11 de julho pela Delegacia de Crimes Contra a Ordem Tributária, a Secretaria de Estado da Receita e a Promotoria de Justiça de Crimes Contra a Ordem Tributária do Ministério Público da Paraíba (MPE) entrou em sua 2ª Fase a partir de diligências realizadas no final de semana.

Nesta segunda fase, foram presos Gerlânia Carneiro Ribeiro (ex-esposa de Wellington de Sá Souza, acusado de ser o mentor do esquema de sonegação) e José Raimundo da Silva, este último preso em Sapé.

As prisões aconteceram após os suspeitos terem sido conduzidos, mediante mandado de condução coercitiva expedido pela Justiça, para prestarem depoimento na Delegacia de Crimes conta a Ordem Tributária no último final de semana. 

Segundo o gerente da 1ª Região da Receita Estadual, Francisco Cirilo, na casa dos suspeitos foram apreendidos documentos que apontam novas empresas envolvidas no esquema. “Nas residências das pessoas verificou-se que existia uma farta documentação. Inclusive na casa de um deles havia documentação de 10 empresas laranjas, onde apenas duas já estavam sendo investigadas”.

NA PRIMEIRA FASE

Na primeira fase da Operação Orange foram cumpridos nove mandatos de prisão e 13 de busca e apreensão. Os alvos foram os operadores do esquema: o empresário Wellington de Sá Souza, tido como líder do grupo; dois falsificadores de documentos; quatro contadores e dois colaboradores.

 

 

Fonte: ClickPb