Fale Conosco

A deputada estadual Olenka Maranhão (PMDB) rebateu agora a pouco ataques feitos pelo deputado governista Tião Gomes (PSL) à bancada de oposição na Assembléia Legislativa da Paraíba. Segundo Olenka, “o Governo está perdido, não tem compromissos com a população, está descumprindo princípios básicos da moralidade e ainda tenta colocar a opinião pública contra deputados que combatem irregularidades praticadas no âmbito da administração estadual”. 

De acordo com a deputada peemedebista, o deputado Tião Gomes “teve a cara de pau” de ir à tribuna da Assembléia acusar a oposição de estar tentando fechar o hospital de Trauma Senador Humberto Lucena, pelo simples fato de se estar exigindo, com base no dever parlamentar, esclarecimento sobre o contrato celebrado entre o Governo a ONG Cruz Vermelha, que assumiu, de forma ilegal, serviços de saúde da competência do Estado. 

Conforme Olenka, Tião ainda ameaçou, a mando do Governo, duplicar a quantidade de outdoors com fotografias de deputados da oposição, “insinuando que estamos querendo fechar o Hospital de Trauma e ameaçando nos colocar contra a opinião pública”. 

“Mas o povo está atento e sabe que a oposição quer apenas que o Hospital não seja privatizado e cumpra sua função social, porque o direito à saúde é um direito constitucional. Se alguém está tentando fechar o Hospital de Trauma, construído pelo ex-governador José Maranhão, este alguém é o próprio governador Ricardo Coutinho e seus aliados”, disse a deputada, recorrendo aos apanhados taquigráficos da Assembléia, que assim registram a ameaça de Tião Gomes: “Se querem fechar o Hospital de Trauma, se preparem, porque, dessa vez, com certeza, a quantidade de outdoor será duplicada”.

Olenka lembrou que a oposição luta para que obras e serviços públicos tenham transparência e passem pelo efetivo processo de licitação, como manda a lei. Segundo ela, a oposição não vai admitir esse tipo de chantagem feito por Tião Gomes, a mando do Governo. 

Conforme Olenka, a Justiça do Trabalho tem decisões reiteradas dizendo que a terceirização de atividades-fins é ilegal principalmente numa área tão fundamental como a saúde pública”.  Conforme a parlamentar, a Cruz Vermelha, que está administrando o Hospital de Trauma não cumpre a legislação trabalhista, como alega o Governo do Estado, o que provoca sofrimento no povo, conforme atesta o Ministério Público do Trabalho, que vê uma sucessão de descaso, incompetência  e improbidade administrativa no Hospital de Trauma. 

“Nós, da oposição, queremos que o Estado assuma uma competência que é sua e que foi jogada por terra pelo atual governador”, disse. Por fim, Olenka se referiu à troca do terreno da Acadepol, no bairro de Mangabeira, pelo do bairro do Geisel, em João Pessoa, aprovada pela bancada governista “para contemplar um empresário de forma ilegal, uma vez que o processo não terá licitação, os valores são bem inferiores à avaliação feita pela Caixa Econômica Federal (CEF) e não há a garantia escrita de que será construindo um shopping center em Mangabeira”. 

Nós sabemos muito bem o que está por trás da troca de terrenos. Agora, sabemos da intenção do governo de querer privatizar o Hospital de Trauma para inviabilizar a afetiva fiscalização dos recursos públicos destinados ao hospital”, denunciou Olenka, acrescentando que laudo recente do Conselho Regional de  Medicina aponta uma piora na qualidade dos serviços prestados pelo Hospital de Trauma, que está operando com um sobrepreço superior a 60% desde que passou a ser gerido pela Cruz Vermelha.