Fale Conosco

O governador não é cirurgião plástico, mas adora esticar as pregas de tudo que faz para projetar uma imagem surreal. Se RC exigir de Luciano Agra índices de desenvolvimento tão rígidos quanto os que exigiu do prefeito de Campina, certamente a Capital vai ficar sem celebrar nenhum convênio com o Governo do Estado.

Porque tudo em João Pessoa foi resolvido na base do botox. Se observarmos melhor, a máscara do bom gestor cai e até complica o seu futuro político.

A Saúde em João Pessoa é um caos e ninguém percebe a diferença entre a fase em que os médicos estão em greve ou não, pois o buraco é mais embaixo e o sistema entrou em colapso do meio fio até a sala de cirurgia.

Na Educação fizeram muita firula com a construção de novas escolas, obras de pedra e cal, mas esqueceram de investir no material humano e a qualidade do ensino não melhora devido à desmotivação do corpo docente e demais servidores, que tem salários achatados e queixas de todos os tipos.

Não quero nem falar na máfia da merenda e na repitção de pratinhos estimulada para garantir o lucro e outras coisitas mais. Um escânadlo prestes a estourar.

E que ninguém fique pensando que João Pessoa tinha ótimo padrão de desenvolvimento humano na época de Ricardo prefeito e caiu após a entrada de Agra.

Nada disso! O problema vem de longe e a cidade tinha passado apenas por um rápidas intervenções de um bisturi para garantir vitrine ao “salvador da pátria”. Haja maquiagem!

Nas áreas de classe média e classe alta João Pessoa é uma e tem asfalto bem cuidado, coleta de lixo e muitas obras cosméticas.

Na periferia nada disso chegou a não ser as praças com aqueles equipamentos de malhação para a terceira idade.

É isso que o socialismo republicano do Coletivo tem a oferecer? Academia de ginástica 0800?

A cidade incha, o cinturão de miséria alimenta e realimenta a violência urbana e os gestores apresentam praças como solução.

O que Ricardo e Agra fizeram a não ser atirar com pólvora alheia criando o transporte integrado à custa dos empresários do setor, que compraram a idéia para combater os alternativos?

O EmpreenderJP? Esmolinhas paliativas? Parques como o Cuiá, que custou 11 milhões e não saiu do papel? O que Ricardo fez uqlquer fari até por inércia já que João Pessso tem arrecadação para bancar sozinha muitas obras.

Para quem não sabe, João Pessoa, ao contrário de Campina, é uma cidade superavitária. Arrecada mais do que gasta.

Cuidar bem da orla e abandonar a periferia não melhora índices de desenvolvimento humano. Ao contrário, afaga quem já tem a vida resolvida.

Outra coisa: João Pessoa, ao contrário de Campina, é uma cidade superavitária. Arrecada mais do que gasta.

Então, o governador Ricardo Coutinho não tem moral para querer servir de exemplo ou cobrar o que nunca teve coragem de fazer quando era prefeito.

Vivendo de bravatas e se negando a descer do palanque, Ricardo insiste no estilo belicoso, que nada acrescenta e só piora asa coisas.

Quem quer um pacto faz sua parte. Do jeito que vai teremos quatro anos de guerra política e isso não interessa a ninguém.

Outra coisa: a maioria dos paraibanos não elegeu Ricardo para ser Deus, mas apenas para o cargo de gerente político e administrativo da Paraíba. Um cargo temporário e passível de demissão.

Ele não pode querer ser o dono da verdade e impor ao invés debater. O temperamento turrão e irredutível deve ficar em casa e não chegar ao Palácio atropelando tudo e todos.

Ele não é o dono de nada, no máximo sócio.