Fale Conosco

Depois que, provocada pelo Ministério Público, a Polícia Federal prende, desbarata e desmoraliza quadrilhas que roubam dinheiro público, o que acontece quando os holofotes da mídia se apagam sobre os quadrilheiros e  a sociedade perde o interesse pela notícia?

Considerando que a punição para quem desafia a Lei não é só virar manchete negativa na imprensa, cabe como boa pergunta aos promotores os motivos pelos quais a Operação Desumanidade, por exemplo, que investigou o desvio de milhões de reais dos cofres públicos, não avança e os desdobramentos não vão além das tornozeleiras que estão nas canelas dos intermediários José Aloysio da Costa Machado Neto e José Aloysio da Costa Machado Júnior, donos da construtora por onde o dinheiro da corrupção girava e chegava aos “peixes grandes”.

A Paraíba viu situação semelhante se repetir em Cabedelo, região metropolitana de João Pessoa, nesta terça-feira, (04), com a Operação Xeque-Mate, quando o prefeito Leto Viana, a sua esposa, o presidente da Câmara e outros 5 vereadores foram presos, dentre 11 vereadores que estão sendo investigados, 85 servidores públicos afastados e bens sequestrados.

A pergunta que repito é: depois do estardalhaço vem o quê?  Pergunto citando o exemplo de Patos. O que aconteceu com a Operação Desumanidade? Será que a punição para os delinquentes graúdos foi só a desmoralização na mídia? Será que toda a culpa vai recair apenas sobre dois peixes pequenos que nem a delação premiada foi homologada e tudo parou sabe-se lá quais as interferências?

O povo quer saber, Ministério Público Federal.

 

Dércio Alcântara