Notícias

O governador vai tirar nova licença médica e aumentam os rumores de que é portador de doença grave

EXCLUSIVO -Soube que o governador Ricardo Coutinho decidiu tirar nova licença e desta vez assumidamente é para tratamento de saúde. Desejo-lhe sorte e que Deus tenha traçado pra ele uma vida longeva.

Sempre combati o estilo RC, nunca o ser humano. Sempre bati na tecla do modus operandi político, nunca do cidadão. Apesar de ter noticiado sua separação e o imbróglio que dela derivou nessa batalha pela guarda do filho com Pâmela. E se assim o fiz foi por que ele é uma figura pública e, como tal, o que se passa em sua vida é do interesse da mídia.

Para quem não sabe o governador é portador de uma doença rara, a síndrome de treacher collins, que movimenta os ossos da face e faz com que tenha que se submeter a inúmeras cirurgias de correção, pois com a movimentação a pele sofre o repuxo e isso lhe causa inúmeros contratempos, tendo inclusive que tomar nebulização todos os dias para otimizar as vias respiratórias.

Por fontes seguras de dentro da Granja fiquei sabendo que, nas últimas semanas, as coisas pioraram e houve um entra e sai de médicos na residência oficial, inclusive tendo sido providenciado ventilação mecânica para ele dormir.

Nas férias que tirou recentemente, que desconfio que foi uma licença disfarçada para tratamento de saúde, RC teria feito uns exames na face e no crânio para averiguar um incômodo.

Os médicos constataram problemas adicionais. Talvez um nódulo maligno. Repito, talvez. E estaria em estado muito avançado para uma cirurgia.

Agora chega a notícia confirmando uma nova licença para tratamento médico, a segunda em apenas oito meses, e os rumores de que o governador estaria com problemas de saúde aumentaram muito nas últimas semanas.

Ele, obviamente vai negar e dizer que fará uma cirurgia ortodôntica. A SECOM vai dizer que eu estou secando o governador, mas não aumentei uma vírgula

Um amigo médico arriscou fazer comparações entre o caso de Dilson Funaro, ex-ministro da Fazenda, e o de Ricardo Coutinho, lembrando-me que Funaro conviveu oito anos com o problema após o diagnóstico.

É aguardar para saber se nosso blog tem ou não razão, falou ou não a verdade.