Fale Conosco

1. A Paraíba vai receber R$ 3 milhões para credenciar 96 novas equipes ou serviços de Atenção Básica Primária, em 53 cidades. O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. De acordo com o gestor da pasta, o valor também deve financiar 29 agentes comunitários de Saúde, 16 equipes de saúde da família, além de 12 equipes de saúde bucal e uma equipe de consultório de rua.

2. O motorista que causou um grave acidente na avenida Epitácio Pessoa, em João Pessoa, na última segunda-feira (1), se apresentou na noite desta quinta-feira (4), na Central de Polícia, no bairro do Geisel. Raimilson Tadeu Pereira, de 31 anos, ficou em silêncio durante o interrogatório da delegada Lídia Veloso e foi liberado em seguida. Ele foi visto, minutos antes do acidente, em um restaurante no Centro da cidade, já alcoolizado. Segundo testemunhas, o motorista ingeriu nove cervejas no local.

3. A Justiça da Paraíba converteu a prisão preventiva de Inaldo Figueiredo Silva, um dos réus da Xeque-Mate, em medidas cautelares. O réu terá que manter o recolhimento domiciliar no período noturno das 22h às 6h, não se ausentar dos limites da Comarca de Cabedelo e João Pessoa sem autorização judicial, além de não frequentar bares, casas de jogos de azar, casas de shows e teatros, ante a necessidade de se preservar a investigação policial.

4. Para Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente, o Brasil já atingiu o desmatamento zero – pelo menos do ponto de vista relativo. Os últimos dados oficiais – referentes ao período 2017-2018 – apontam as maiores taxas de destruição do bioma da última década.
“Busca-se o zero absoluto ou o zero relativo? O zero relativo nós já atingimos”, disse Salles à Folha de São Paulo.

5. Após mais de 16 horas de reunião, a comissão especial da reforma da Previdência da Câmara concluiu na madrugada desta sexta-feira (5) a votação do parecer do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), com a aprovação das propostas de mudanças nas regras de aposentadoria. Agora, a PEC seguirá para o plenário da Câmara, onde terá de passar por dois turnos de votação e necessitará do apoio de pelo menos 308 dos 513 deputados. Depois, se aprovada, vai para o Senado.

Da redação