Fale Conosco

 
O feriado de 7 de setembro deve ser marcado por manifestações em Campina Grande e em João Pessoa. Sob o tema: “Juventude que Ousa Lutar Constrói o Projeto Popular”. O Grito dos Excluídos deste ano, pretende prospetar na Rainha da Borborema contra a pactuação dos serviços da saúde, a favor de medidas de combate à corrupção, pelo passe livre para os estudantes. Já na capital as metas são eixo contra a violência machista, racista e homofóbica.

Em Campina Grande, o movimento terá concentração na Praça da Catedral de Nossa Senhora da Conceição, no centro da cidade. Com o apoio da diocese de Campina Grande, estarão presentes pessoas das Pastorais Sociais, organismos de ação social, Paróquias, novas comunidades, PJs, sindicatos, ONGs, movimentos sociais, eclesiais e estudantis. A concentração será a partir das 7h da manhã.

O Grito dos Excluídos dialoga com as mobilizações que aconteceram a partir do último mês de junho, quando milhares de pessoas saíram às ruas em todo o país, principalmente a juventude brasileira, na cobrança por direitos básicos, como transporte de qualidade, moradia, saúde, educação e pela Reforma Política.

Na programação está previsto o resgate histórico do evento, momento de reflexão, com a participação de Dom Manoel Delson, animação, ciranda e encerramento com uma caminhada pelas ruas do centro da cidade. O presidente do Sintab Napoleão Maracajá apoia o movimento e relata que os servidores municipais de Campina se farão presentes para protestar contra a pactuação na saúde e pelo piso dos professores. “Eu faço um desafio ao secretário ou qualquer membro da gestão municipal a provar que um dos pontos foi resolvido. Vamos trabalhar com a verdade”, disse o sindicalista.

Já na capital o Movimento do Espírito Lilás (MEL), esteve presente no Grito dos Excluídos em João Pessoa na última quinta-feira (5), no eixo contra a violência machista, racista e homofóbica, juntamente com o movimento negro e feminista da Paraíba. E promete voltar as ruas hoje.

Renan Palmeira, comentou que o MEL participa todos os anos do movimento e alertou que no ‘bloco’ das minorias sociais a violência é ‘gritante’ na Paraíba. “Esse é um dos motivos de estarmos voltados e organizados para essa marcha”, ressalta.

O Grito dos Excluídos é uma atividade nacional, e em 2013 celebra sua 19ª edição. De 1° a 7 de setembro serão realizadas ações, seminários e manifestações em todo Brasil, com o objetivo de colocar no centro da discussão a perspectiva de um projeto popular para o país, fortalecendo as lutas unitárias entre as forças sociais do campo e da cidade.

Autoridades temem que as manifestações acabem em violência, a exemplo de episódios ocorridos durante os atos de junho.

Reivindicações – No Facebook, mais de 400 mil pessoas já confirmaram presença no movimento nacional organizado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil