Fale Conosco

Chamo a atenção do presidente do Tribunal de Justiça Abraham Lincoln para um fato gravíssimo que, se comprovado, poderá manchar sua passagem pelo comando do Judiciário.

Uma fonte de trânsito livre nos tribunais me telefona para denunciar que o juiz José Ferreira Júnior, publicamente conhecido como o marido da deputada Daniella Ribeiro, estaria misturando as coisas e usando da prerrogativa de ser assessor da presidência para fazer lobby pela derrubada da liminar que atropela a aliança do PT com o PP em Campina Grande.

Conta a fonte que o marido da deputada acompanha equipe de advogados da campanha dela em incursões normais para eles, mas imoral e ilegal para quem representa aonde for a intimidade e vínculo com a presidência do TJ.

Entendo a determinação de reverter o quadro jurídico, pelo constrangimento de ter levado um baile na sua área, quando estava focado em outras searas, já que é público que o referido juiz é coordenador da campanha da pré-candidata do PP em Campina.

Mas, não pode ele usar de suas prerrogativas e acesso para fazer pressão em favor de um pleito pessoal, pois fere de morte a equidistância que um magistrado tem que ter para julgar.

Como assessor do presidente Abraham Lincoln ele se movimenta como se a serviço do presidente estivesse e isso envolve o próprio TJ numa causa política, o que é temeroso.

Já denunciei aqui neste blog que a emissora de rádio de propriedade da família Ribeiro, a Cariri, onde o próprio juiz faz ecomentários políticos como se radialista ou ator do meio fosse, fere a legislação desde o ano passado fazendo campanha 24 horas por dia sem que nenhuma providência seja adotada para impedir a violação do período vedado.

Sabe-se que por trás dessa desobediência tem o juiz oferecendo costas quentes e blindagem, como se em Campina Grande não existissem magistrados isentos para coibir o abuso.

Agora soma-se a isso a denúncia de que José Ferreira Júnior confundiu as funções de marido, coordenador da campanha, juiz e assessor do presidente do TJ ao legislar em causa própria.

O caso merece ser denunciando ao CNJ, pois é desvio de conduta e não pode um Tribunal ser usado como instrumento a serviço de um grupo político.

Não pode o referido juiz trazer o gabinete do desembargador Abraham Lincoln para o comitê jurídico da deputada Daniella Ribeiro. Tenho certeza qque aquele honrado desembargador ao tomar conhecimento do fatos graves vai chamar o feito a ordem.