Fale Conosco

Bastou o primo rico Cássio Cunha Lima garantir-lhe a candidatura a prefeito de Campina para Romero Rodrigues comer corda e já se achar uma liderança com luz própria. Apesar de não ter a certeza absoluta, Romero decidiu que a melhor defesa é o ataque e partiu pra cima de Veneziano acusando-o de ter usado a máquina para vencer o último pleito.

Obviamente, sabe-se que Romero carrega em seu âmago a frustração de todos do Clã Cunha Lima, que é ter levado duas pisas de Veneziano, que venceu Rômulo em 2004 e 2008, Cássio sendo governador e o gordinho tendo a máquina da Assembléia pra detonar. Arthur sabe do que estou falando.

Abaixo, a nota da secretária de Articulação da PMCG, Lídia Moura, escalada para manter no varejo o que nuca vai ser no atacado.

“Lamentável a acusação do Deputado Romero Rodrigues contra o prefeito Veneziano Vital do Rego, de utilização da máquina pública nas eleições. Vale lembrar que Veneziano derrotou Rômulo por duas vezes. Em ambas, o grupo político que o deputado integra detinha a poderosa máquina estadual. E também a estrutura da Assembleia Legislativa. 

Na primeira eleição, em 2004, Veneziano era vereador e não tinha qualquer máquina. Na segunda eleição, estava empenhado em pagar a montanha de dívidas deixadas pelas duas décadas de domínio do grupo que, infelizmente, a prefeita Cosete, com apenas dois anos de mandato, não pode dar fim, dado o volume de problemas. 

Ainda que quisesse ou pudesse, Veneziano não poderia usar a máquina, pois essa estava em apuros. E ele não faria, pois vê na gestão pública uma oportunidade de exercer os bons ensinamentos que recebeu em casa, de não fazer uso do alheio. 

Restou provado, com a cassação do então governador líder do grupo, que este grupo se utiliza das estruturas governamentais para permanecer no poder. Ficou provado e a justiça respondeu com punição severa. 

Já o prefeito Veneziano, dia após dia, processo após processo, tem provado a sua inocência. A tática da fabricação de processos, aliás, é tentativa de desestabilizar a gestão, além de desrespeito à escolha popular, feita através do voto. 

As acusações refletem também a falta de argumentos contra um gestor que tem mais de 2.500 ações realizadas ou em curso, em benefício da população. Com uma aprovação recorde para a gestão de Veneziano, a oposição mantém a terrível e atrasada prática do achincalhe por falta do bom debate. 

Lídia Moura 
Coordenadora de Articulação Política/PMCG”

Cá pra nós, seu fosse Romero se preocupava mais com os adversários internos, pois soube que Rômulo e Manoel Ludgério conspiram dia e noite contra ele.

Abre o olho rapaz, você ainda não saiu da regra três…