Fale Conosco

Não sei se é por causa daquele jeitão medieval, mas o Palácio do Bispo, onde despacha o prefeito de Campina, parece ter uma bruxa solta nos últimos dias.

Primeiro foi o procurador José Mariz, que, na ânsia de mostrar serviço a Romero, agrediu homossexuais, evangélicos, usuários de academia e homens que usam cabelos grandes. Só os negros escaparam da fúria dele.

Agora foram outros auxiliares do prefeito que, ao anunciar mudanças na STTP, atacaram o filho do presidente da Câmara, Pimentel Filho.

Explico. Bernardo Pimentel, filho de Pimentel, pediu demissão da coordenadoria de transito da STTP e em seu lugar Romero nomeou Dunga Filho, que era adjunto da Cultura.

Até aí tudo normal. O problema começou quando a CODECOM emitiu nota oficial elogiando Dunga Junior e, por tabela, depreciando Bernardo. Uma gafe.

A práxis diz que numa transição de cargos entre aliados o trabalho de quem tá saindo é bem avaliado e as qualidades profissionais de quem tá entrando é evidenciada para deixar claro que a função continuará em boas mãos.

Na nota da CODECOM e no discurso do superintendente do STTP, Feliz Araújo Neto, relegaram Bernardo a um condição de dois de paus, como se o seu legado não merecesse citação.

Diz a nota, entre outras gafes, que Dunga Júnior representa o padrão que o STTP precisa, como se Bernardo tivesse saído de lá enxotado e para o bem do órgão. Para Félix Neto, superintendente da STTP, Dunga tem todas as qualificações necessárias para desempenhar sua nova missão. “Ele é proativo, tem muita energia pra trabalhar, e se identifica com o nosso modelo de administrar. Tenho certeza que a coordenação de trânsito está em boas mãos”, comentou.

Leiam abaixo a nota do CODECOM e tirem suas conclusões. Antes, pegunto, e agora vereador Pimentel Filho? Incluíram seu rebento, um jovem e competente gestor público, no rol dos que devem ser agredidos pela gestão Romero Rodrigues. Será que o presidente da Câmara vai engolir em seco a desfeita?

CLique AQUI  e leia a nota da CODECOM