Fale Conosco

O último biênio da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) já pode ser considerado como o de maior maior produtividade da sua história. A Casa de Epitácio Pessoa aprovou nesses dois anos 12.732 matérias entre requerimentos, projetos de Lei, projetos de Resolução, vetos e Medidas Provisórias.

Em 2020, esse número chegou a 4971, enquanto que em 2019 foram 7761 matérias aprovadas. Um resultado “extremamente positivo”, segundo o presidente da Casa, Adriano Galdino, que superou as expectativas em relação aos anos anteriores.

Tal produtividade foi possível graças à mobilização do Parlamento durante a pandemia, com a realização das sessões e reuniões ordinárias de forma remota, por meio de videoconferência. Mesmo com as restrições impostas pelas autoridades sanitárias, a Casa de Epitácio Pessoa não deixou de analisar e votar os projetos de interesse dos paraibanos, ressaltou Adriano Galdino.

Nos anos de 2020 e 2019, a ALPB superou qualquer produção já registrada na história da Casa. Ao todo foram 19.780 matérias apresentadas nos dois anos da legislatura presidida pelo deputado Adriano Galdino. De acordo com o Sistema de Apoio ao Processo Legislativo (SAPL), só a produção de projetos de Lei superou os números registrados nos anos de 2017 e 2018 juntos, que produziu o total de 889 PL’s. Em 2019 e em 2020, esse número foi de 2.348 PL’s.

O presidente destacou que nunca houve tamanha produtividade do parlamento paraibano. “É uma produção altíssima, que supera os números somados na legislatura passada. Eu agradeço aos parlamentares e aos funcionários da Casa por esse empenho e por essa vontade de construir a cada dia uma Paraíba melhor. É graças a esse empenho que as matérias são recebidas e apreciadas por nós deputados”, disse Galdino.

Além da produção legislativa, a Assembleia da Paraíba realizou eventos e debates importantes, para diversos setores da sociedade, antes e durante a pandemia. Mesmo com as restrições impostas pelo Coronavírus, a Casa participou de ações através de videoconferência. As comissões permanentes organizaram por meio de lives diversas discussões, que reuniram milhares de pessoas, durante todo o ano e representantes de vários órgãos.