Fale Conosco

Apesar de não ter dito de quem partiu a idéia da AIJE contra jornalistas e um plano macabro para desmoralizar a imprensa que denuncia os desmandos das gestões RC numa matéria nacional publicada na revista Veja, o colunista do Jornal da Paraíba Rubens Nóbrega  aborda em sua coluna de hoje os bastidores dessa novela que eu já disse quem é o mentor.  Tudo partiu do secretário de Comunicação Luís Torres e grande parte do jurídico foi contra. 

Leiam agora o artigo de Rubens:

Não passaria de um Plano B a famosa ‘Aije da Imprensa’, a Ação de Investigação Judicial Eleitoral com que o candidato à reeleição Ricardo Coutinho e sua coligação (‘A Força do Trabalho’) tentaram, no segundo turno das últimas eleições, tirar este jornal de circulação e a CBN João Pessoa do ar, além de suspender os blogs dos jornalistas Helder Moura, Marcone Ferreira, Dércio Alcântara e Alan Kardec. O Plano A, segundo um dos investigados, seria expor os veículos mencionados, este colunista e os blogueiros citados em matéria da Veja. Todos na condição de mercenários de uma guerrilha eleitoral financiada pela Assembleia Legislativa para encher a bola de Cássio Cunha Lima (PSDB) e ao mesmo tempo murchar a do governador.

“Como a Veja não acolheu nem topou a matéria, decidiram, então, recorrer à via judicial para tentar cassar a liberdade de expressão no período eleitoral e ao mesmo tempo amordaçar parte da imprensa que não abriu mão de fazer jornalismo e muito menos crítica, não ao candidato, mas ao governante e ao seu governo”, relatou-me ontem o colega, extremamente indignado diante do que tem na conta de “pura canalhice” do suposto mentor e redator da ‘denúncia’ recusada pelo semanário do Grupo Abril. 

De minha parte, disse-lhe acreditar que desde o famoso Boimate a Veja passou a tomar mais cuidado com as colaborações ou plantações externas e só publica as histórias que ela mesma inventa.O colega discordou radicalmente da minha interpretação. “Nada a ver”, garantiu. Disse que as gestões supostamente palacianas ou secomianas junto setor editorial ou comercial da revista deram em nada porque o texto pretensamente redigido por aqui seria tão sofrível quanto inverossímil.
 Tal e qual o boimate, que se você ainda não sabe o que vem a ser nem tem disposição de pesquisar na Internet permita-me, então, resumir no tópico seguinte uma das maiores barrigas do jornalismo brasileiro de todos os tempos.
 
COMO FOI

No começo de abril de 1983, a revista inglesa New Scientist publicou uma piada em ‘homenagem’ ao ‘Dia da Mentira’ informando que cientistas alemães haviam desenvolvido um híbrido de boi com tomate. A lorota acabou saindo como informação séria, tremendo furo jornalístico, na edição de Veja do dia 27 daquele mês, naquele ano. O redator dos Civita chegou a dizer, inclusive, que a experiência dos pesquisadores alemães permitia “sonhar com um tomate do qual já se colha algo parecido com um filé ao molho de tomate”. Por essa e outras, a barrigada virou alvo de chacota internacional, mas Veja somente viria a reconhecer publicamente o erro cometido na edição de 6 de julho, quando pediu desculpas aos leitores pelo “lastimável equívoco”