NotíciasParaíba

NEGLIGÊNCIA OU DESCASO? ISEA na gestão Romero é alvo de mais uma denúncia; veja o vídeo

O descaso com a saúde pública em Campina Grande ganhou mais uma vez destaque na imprensa. O programa Borborema Notícias, da TV Borborema, exibiu na edição de ontem (04) uma reportagem mostrando o descaso do poder público municipal com o Instituto de Saúde Elpídio de Almeida – ISEA, a maternidade pública de Campina Grande. Na reportagem, médicos enfermeiros e funcionários denunciam, falta de condições mínimas de trabalho e alertam que isso pode levar a morte de crianças e suas respectivas mães a tendidas na unidade.
O caso veio à tona essa semana inicialmente através das redes socais, onde médicos da unidade relataram a ausência de condições mínimas de trabalho, com a falta de leitos no setor de alto risco, pouca quantidade de médicos e plantonistas, material de trabalho e isso vem revoltando os profissionais que trabalham no Instituto e os levaram a procurar os meios de comunicação.
Em entrevista a emissora a obstetra Cláudia Bianca, disse que falta apoio da prefeitura para ofertar um lugar digno para as pacientes em trabalho de parto e já paridas. “Nós temos na sala de parto 18 leitos, incluindo três leitos em corredor, que a gente trabalha normalmente com pacientes em cadeiras em pleno trabalho de parto. Porque a gente não tem vaga na maternidade para essas pacientes já paridas”, disse.
A reportagem mostrou pacientes gravidas deitadas no chão dos corredores do ISEA. Já Patrícia Loureiro que é anestesiologista no instituto, reclama que não existe material adequado e suficiente para exercer seu oficio. “Precisaria de três carrinhos de anestesia, duas salas cirúrgicas e uma sala para fazer coletagem. A gente só tem um carrinho de anestesia”, desabafou.

Outra obstetra Maria do Carmo destaca que já fez partos sem ter nem lençóis para acomodar as pacientes. “O parto é feito em cima de um plástico mesmo, ou às vezes papel toalha”, afirmou a obstetra.
Há pouca quantidade de médicos e plantonistas, também preocupa os profissionais da unidade. De acordo com a pediatra Lourdes Jacinto. “Nosso setor que devia ter quatro plantonistas, funcionou nesse final de semana só com um. Ficando com um profissional exclusivamente para a UTI, deixando a sala de parto descoberta”, alerta a pediatra. Na matéria é destacado ainda que até o Centro de Parto inaugurado em agosto de 2016, até o presente momento não funciona. Confira a matéria completa do descaso do ISEA na gestão Romero Rodrigues no vídeo abaixo:

Não é a primeira vez que o descaso do ISEA é destaque na mídia, em 2014, foi tema de matéria exibida no Bom Dia Brasil, da Rede Globo, onde o programa revelou para todo o país, o caso das mortes em apenas três meses, de 45 mortes de recém-nascidos, número considerado alarmante pelas autoridades de Saúde, no Isea.
Redação

Tags: Tags: