Notícias

Na UEPB falta material de consumo e até recursos para pagar salários

A julgar como verdadeiro o quadro traçado pela reitoria da UEPB, em novo documento enviado ao Governo do Estado, é realmente impiedoso o garroteamento financeiro imposto pelo governador Ricardo Coutinho à Universidade. A Instituição não tem mais recursos sequer para o pagamento das folhas de novembro, dezembro e 13º salário.

Mas, não é apenas pagamento de salários. Diz o documento: “Atualmente, a UEPB não possui créditos orçamentários suficientes para custear despesas básicas, tais como aquisição de material de consumo, prestação de serviço de pessoa jurídica, Internet, publicações no Diário Oficial do Estado, energia elétrica, água e esgoto, telefonia móvel e fixa…”

A lista é longa dos itens, que a Universidade não tem mais como pagar: “Correspondências, aluguéis de imóveis, utilização do sistema Siaf, vale transporte, salário família, encargos patronais, vale alimentação, diárias, combustível, manutenção da frota de veículos, bolsas estudantis, locação de vans e micro-ônibus, aquisição de passagens aéreas, entre outros.” O seja, a UEPB está praticamente desativada.

Para concluir o período letivo, a Universidade “necessita de pelo menos R$ 32.775.537,70, de modo a garantir a folha de pagamento”. Em virtude da permanente crise financeira, a Instituição não tem conseguido provisionar o valor correspondente a 1/12 da folha e encargos durante o exercício de 2014, como era feito até 2011, o que vislumbra a impossibilidade do cumprimento do pagamento.

Governador foi avisado – Um relatório completo expondo a situação da UEPB foi encaminhado ao governador Ricardo Coutinho, bem como aos secretários Thompson Mariz (Planejamento e Gestão), Tárcio Pessoa (Finanças), Ana Maria Cartaxo (Controladoria Geral do Estado) e Márcia Lucena Lira (Educação), “com o objetivo de buscar uma decisão que possa viabilizar efetivamente a continuidade das atividades na UEPB”.

BHM