Fale Conosco

O jornalista Juliano Barreto lança hoje, no Rio de Janeiro, o livro que marca os 20 anos da morte do sambista trapalhão que imortalizou o perfil espontâneo do brasileiro e que, ainda hoje se faz presente, até como viral nas redes sociais.

Antônio Carlos Bernardes Gomes, o menino que ensinava à mãe o que aprendia na escola, tornou-se mecânico, cabo da Aeronáutica, músico, ator, diretor da ala das baianas da Mangueira, sua grande paixão. Talvez, por ser muitos, tinha também muitos nomes: Carlinhos do Reco-Reco, Cabo Fumaça, Carlinhos da Mangueira, Caco e Mussum. Este último, dado despretensiosamente por Grande Otelo, em uma de suas brincadeiras,o consagrou em todo o Brasil. Afinal, palavra de gênio tem força sempre.

A obra de Juliano Barreto está dividida em 24 capítulos e desvenda a vida deste brasileiro, que vai além de sua trajetória artística. Com depoimentos da família, amigos e pessoas que conviveram com Mussum, fotos inéditas e sua contribuição para o samba. Suas parcerias musicais, que vão de Adoniran Barbosa a Baden Powell, também são lembradas, dando uma ideia da extensão criativa do artista.