Notícias

Mudanças no São João de CG podem render milhões a dono de terreno, ao filho de Cássio e a empresa investigada por fraudes

Anunciadas com pompas pelo prefeito de Campina Grande Romero Rodrigues (PSDB), as mudanças no São João de Campina Grande guardam seus segredos. Mesmo a atual área do evento tendo 42 mil metros quadrados e ter recebido uma ampla reforma em toda sua estrutura em 2012, o prefeito, em plena crise econômica, pretende desapropriar um terreno nas margens da Estação Velha, não se sabe de quem, e nem por quanto, para construir, em parceria com empresas, uma nova estrutura no local.

As intervenções anunciadas pelo prefeito tucano a serem feitas na Estação Velha e com a criação do chamado “Pólo de Eventos Poeta Ronaldo Cunha Lima”, vão gerar importantes receitas iniciais ao dono do terreno (que ainda precisa ser anunciado, bem como o valor do m²) e aos construtores envolvidos na obra.

Num trecho do seu discurso ontem (05), durante o anuncio da obra o prefeito de Campina Grande disse: “Toda a área por onde acontecerá o São João terá também calçadas padronizadas, com piso intertravado, além de moderna iluminação”, disse o tucano (link: https://goo.gl/TnXdpw). Atualmente a empresa que tem ganhado diversas licitações na PMCG para fornecer pisos Intertravados é a empresa Interblock Artefato de Cimento S/A, que tem como um dos seus donos o filho do senador Cássio Cunha Lima (PSDB), Diego Cunha Lima, que é primo de Romero.

A interblock já faturou com cinco contratos na PMCG a quantia de R$ 8.644.350,00, sendo quatro contratos na primeira gestão tucana e outro neste segundo mandato. Mesmo estando sob investigação do Ministério Público da Paraíba – MP-PB, que recentemente acolheu denúncia contra a empresa Interblock Artefato de Cimento S/A e determinou abertura do Inquérito Civil 49/2016, diante da necessidade de investigar representação dando conta de possíveis irregularidades na contratação da empresa Interblock Artefato de Cimento S/A, pelo Município de Campina Grande-PB, cresce com esse anuncio de Romero a probabilidade desta empresa ter o sexto contrato com a PMCG. O mais recente trata-se da troca de pedras portuguesas da Avenida Manoel Tavares por pisos intertravados.

No tocante a iluminação, vale ressaltar que a Prefeitura de Campina Grande, através do seu Semanário Oficial de 03 a 07 de agosto de 2015, que pode ser visto no link: (https://goo.gl/Kw8LSP), considerou apta a prestar serviços de iluminação, a exemplo das substituições pelas lâmpadas de LED nos postes de vias públicas, a empresa Real Energy, envolvida num pesado esquema de fraudes milionárias, como prestadora de serviço de iluminação pública. A exemplo dos escândalos que se tornaram públicos em Patos e no estado vizinho do Rio Grande do Norte, onde a Operação Cidade Luz descobriu o desvio de mais de 22 Milhões de Reais dos cofres públicos.

Seria necessário tal mudança? Em 2012, o Parque do Povo recebeu uma completa reforma e ampliação onde a primeira etapa da reforma contemplou a Pirâmide Jackson do Pandeiro. Na segunda etapa houve a implantação do piso industrial e implantação de serviço de drenagem e esgotamento sanitário no Arraial Hilton Mota, além da reforma da bateria de banheiros existente, localizada na parte superior do parque.

A terceira etapa da reforma, incluiu-se a construção de duas novas baterias de banheiros, sendo uma no Arraial Hilton Motta e outra ao lado a Pirâmide Jackson do Pandeiro, além do sistema de drenagem e esgotamento sanitário na parte superior, como também implantação de instalações elétricas mais adequadas em todo o parque.


Redação

Tags: Tags: