Fale Conosco

Os motoristas de transportes privados e individuais (aplicativos) organizam um protesto para a próxima segunda-feira (1º), em João Pessoa. Na pauta do protesto estão a alta do preço dos combustíveis na Paraíba e a vacinação contra a Covid-19; a categoria pede que sejam incluídos nos grupos prioritários da imunização, alegando que podem ser considerados vulneráveis por trabalhar diretamente com o público. A concentração será às 9h, no estacionamento do Estádio Almeidão, no bairro do Cristo Redentor.

“O preço dos combustíveis, que é uma das nossas matérias-primas de serviço e outra coisa é que a gente seja enquadrado como uma profissão risco. Somos vulneráveis a doenças, não só covid, mas como a gente já reivindicou, pediu para que fôssemos vacinados contra H1N1, entre outras coisas que estamos diretamente ligados ao público. Transportamos várias pessoas e precisamos ser vistos como uma classe de riscos também”, revelou  presidente da Associação Paraibana dos Motoristas de Transportes Privados e Individuais, Fernando Barros.

Segundo Fernando Barros, a ideia é que todos os profissionais que trabalham com transporte sejam imunizados. “O ideal é imunizar todos que trabalham com transportes: nós, os taxistas, motoristas de ônibus”, ressaltou.

Somente na Capital paraibana, trabalham como motoristas de aplicativos de forma ativa 5 mil profissionais. Desse total, 3 mil já informaram aos organizadores do movimento que irão participar da paralisação do dia 1º de fevereiro. 

No mesmo dia, também há uma previsão de paralisação no Brasil das atividades promovidas pelos caminhoneiros. No entanto, Fernando Barros informou que o protesto dos motoristas de aplicativo não tem ligação com o movimento dos caminhoneiros, porém caso de fato ocorra a interrupção da atividades deles, isso ajudará o movimento a ganhar forças.

Após a concentração no estacionamento, os motoristas irão seguir até um determinado ponto. O roteiro não foi divulgado pelos manifestantes.